O dirigente do clube, que apresentou a Benfica SAD e o Fundo dos Jogadores a potenciais investidores presentes na Primeira Conferência de Mercados de Capitais do Estoril, aludiu ao forte investimento realizado na constituição da equipa e nas construção do estádio e do Centro de Estágio do Seixal.

"Temos as infra-estruturas necessárias, uma estrutura de futebol que assenta em princípios de performance e com estas bases estamos em condições de desenvolver um ciclo virtuoso", disse.

Além de se referir à triplicação dos valores de bilheteira e à subida de cotação das acções em 30 por cento relativamente a Janeiro, o administrador da Benfica SAD acentuou a valorização dos activos, justificando a ausência de vendas de jogadores nos últimos dois anos.

"A estratégia que assumimos é no sentido de obter mais resultados desportivos e com isso potenciar os jogadores", afirmou.

Como exemplo, Domingos Soares de Oliveira lembrou que foi liquidado pela transferência do argentino Di Maria um total de seis milhões de euros e que pelo concurso do brasileiro David Luiz despenderam-se quatro milhões de euros e assegurou que "esses passes têm, presentemente, um valor substancialmente superior".

Domingos Soares de Oliveira disse mesmo que a estratégia de valorização de activos "pode significar um incremento de 50 a 70 por cento de cada valor do passe" dos jogadores do Benfica.

Por isso, relativizou o prejuízo de 6,1 milhões de euros no primeiro trimestre de 2009/10, referindo a correlação entre o sucesso desportivo e o económico.

O dirigente referiu-se ainda ao apuramento da equipa para a fase seguinte da Liga Europa e revelou que o objectivo orçamental é "passar a fase de grupos e fazer mais três eliminatórias", salientando ainda que "as receitas de bilheteira andam acima das previsões orçamentais".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.