“Continuo a tentar desempenhar as minhas funções como treinador da União de Leiria”, afirmou Lito Vidigal na Quinta do Pinheiro, na Nazaré, minutos depois de ter sido impedido, por dois seguranças, de entrar no autocarro da equipa, que seguia viagem para Leiria.

O plantel da União de Leiria, que treina naquele local desde segunda-feira, foi hoje orientado, nas sessões da manhã e da tarde, por João dos Bastos, um dos adjuntos de Lito Vidigal, e por Ricardo Moura, ex-treinador do União da Serra.

São evidentes as preocupações com a segurança do adjunto de Lito Vidigal, que aceitou treinar a equipa depois de a SAD ter anunciado desentendimentos com o técnico.

Depois do treino, João dos Bastos foi escoltado por dois seguranças até à porta do quarto do complexo da Quinta do Pinheiro, onde tomou banho. Até ao autocarro, o actual responsável pelo treino do plantel foi novamente ladeado por segurança privada.

Depois, Lito Vidigal tentou entrar no autocarro e seguir com a equipa para Leiria, mas foi impedido pelos seguranças, que disseram ter indicações da SAD para, da anterior equipa técnica, apenas deixar entrar João dos Bastos.

Sem responder a questões dos jornalistas, Lito Vidigal fez uma declaração já depois da equipa ter viajado para Leiria, defendendo estar a ser “impedido [de trabalhar] constantemente”.

“Enquanto os responsáveis da União de Leiria não tiverem a seriedade e hombridade para discutir este assunto comigo civilizadamente, vou continuar a comparecer no meu local de trabalho e vamos ver como as coisas vão terminar”, afirmou.

No sábado, a União de Leiria parte para Gouveia, onde realiza um estágio de pré-época. Lito Vidigal prometeu tentar, novamente, seguir no autocarro com a equipa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.