O ex-futebolista Vítor Baía apelou hoje à união para o FC Porto ultrapassar o momento menos bom que atravessa, que espera passageiro, e conseguir voltar ao seu rumo natural e, acima de tudo, jogar bem.

«O momento é de confiança. Há qualidade, há bons jogadores, há um bom treinador, a direção é a mesma, pelo que temos que unir esforços», referiu o ex-guarda-redes portista, à margem de uma iniciativa promovida pela sua fundação, no Porto.

Considerando natural a contestação dos adeptos após a derrota com a Académica (1-0), devido ao seu elevado grau de exigência, o antigo internacional desvalorizou a presença de Pinto da Costa em treinos do FC Porto esta semana.

«A postura do presidente é a mesma desde que o conheço e é a de transmitir confiança à equipa e ao seu treinador», disse Vítor Baía, que abordou ainda o regresso, no sábado, de Jesualdo Ferreira, como treinador do Sporting de Braga, ao Estádio do Dragão.

Baía tem a certeza de que Jesualdo Ferreira será bem recebido, porque «foi um treinador que deixou a sua marca, ganhou títulos, ajudou na formação e saiu como vencedor de uma forma natural no fim de um ciclo», considerando que, mais do que o seu conhecimento do FC Porto, é a sua qualidade que vai criar problemas.

«O que dificulta é que Jesualdo Ferreira é uma pessoa que sabe muito disto. Agora, a qualidade dos jogadores do FC Porto tem de ser superior e também, porque não dizê-lo, até porque é a minha convicção, a competência e a qualidade também do treinador», frisou.

Sobre o eventual regresso de Ricardo Quaresma ao FC Porto, Baía diz que «é um jogador que pode trazer qualidade», já que «não desaprendeu e está ainda, com 30 anos, numa fase boa e pode ser uma mais-valia».

A hipótese de o brasileiro Fernando poder vir a ser chamado à seleção portuguesa também é vista com bons olhos por Vítor Baía, que considera que o médio «pode ser um bom reforço, particularmente num lugar muito específico como é o do número 6».

«A partir do momento em que se abre essa janela da naturalização a jogadores que não nasceram em Portugal, acho normal. E acho normal que Fernando possa ser convocado pela sua qualidade», disse.

Quanto ao brasileiro Helton, Vítor Baía não tem dúvidas de que é o melhor guardião a atuar no campeonato português, considerando que «tem feito épocas de grande nível, com grande regularidade» e, por isso, defende que «o FC Porto continuará bem servido se ele continuar».

O ex-guarda-redes portista considerou ainda que o FC Porto devia ter feito mais na fase de grupos da Liga dos Campeões, até atendendo ao grupo em que ficou inserido, embora ainda exista a remota possibilidade de passar aos oitavos-de-final. Mas nem por isso preconiza grandes mudanças no plantel.

«Por experiência própria sei que o melhor para uma equipa é a tranquilidade e estabilidade e nestas janelas de mercado quanto menos jogadores saírem e entrarem melhor», esclareceu.

A Fundação Vítor Baía promoveu hoje uma visita à Associação Banco da Esperança, para doar 600 embalagens de suplementos alimentares para crianças.

«É algo com que temos tido grande cuidado ao longo destes anos, que é ir ao encontro das necessidades e tentar colmatar algumas debilidades das instituições e diminuir algumas das necessidades das crianças», explicou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.