“Foi uma vitória justa a incontestável, embora tenha havido momentos em que o Benfica foi superior. O FC Porto foi melhor, tivemos mais ocasiões e selou o triunfo com um golo fenomenal”, frisou Jesualdo Ferreira, que pela segunda vez consecutiva, foi expulso.

O técnico salientou que o encontro “ficou estragado com a expulsão de Fucile”, embora “não questione o lance” e “não querendo por em causa critérios e comportamentos”.

“Não percebo nada de arbitragem. Num jogo destes no Mundial, não apitava mais. O primeiro amarelo do Fucile e do Dí Maria foi para rir. Se fosse assim muitos jogadores do Benfica seriam expulsos”, disse, acrescentando que Olegário Benquerença não teve “coragem e não foi competente”.

Pela segunda vez consecutiva, Jesualdo Ferreira não acabou o jogo no banco, mas admitiu que para “defender os jogadores” vai “até ao limite”.

O técnico portista parabenizou ainda o Sporting de Braga pela conquista do segundo lugar.

“O Braga já é um dos grandes do futebol e é muito difícil chegar à última jornada a discutir o título”, sublinhou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.