Emiliano Viviano falou pela primeira vez sobre a sua saída do Sporting. Em declarações ao portal Tuttomercatoweb, o guarda-redes italiano revelou que não havia condições para continuar em Alvalade.

"Não havia condições para continuar no Sporting e tomámos a decisão [de rescindir] com o clube. O problema é que só o fizemos depois do mercado fechar, pelo que não posso assinar por outro clube antes de janeiro", disse Viviano, revelando que que Fiorentina e Cagliari foram hipóteses em cima da mesa, mas que "acabaram por não se concretizar".

Emiliano Viviano rescindiu contrato com o Sporting depois do fecho de mercado, clube ao qual chegou em 2018/19, mas nunca fez qualquer jogo oficial pela equipa principal de futebol.

Viviano, de 33 anos, foi contratado à Sampdoria ainda durante o mandato do presidente Bruno de Carvalho, no verão de 2018, e era visto como o sucessor de Rui Patrício, mas acabou por nunca ser utilizado.

Na segunda metade da temporada, o internacional italiano foi emprestado à SPAL e, esta época, foi mesmo afastado do plantel principal, tendo ficado a treinar à parte, apesar de ter sido inscrito na Liga.

De acordo com a imprensa, o antigo guarda-redes da Fiorentina, Palermo, Bolonha e Brescia tinha um dos salários mais elevados do plantel ‘leonino’, auferindo cerca de dois milhões de euros brutos anuais.

Viviano, que é agora um jogador livre, tem seis internacionalizações pela seleção italiana. Neste momento está a treinar-se na Sampdoria, à espera da reabertura do mercado em janeiro para assinar por um novo clube.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.