O presidente do Belenenses confirmou hoje a existência de um mês de salários em atraso na equipa de futebol profissional, que milita na Liga de Honra, mas mostrou-se convicto de que a situação será regularizada durante a próxima semana.

«O salário de Março devia ter sido pago até ao dia 05 de Abril e o de Abril estará em falta no dia 05 de Maio. Se não pagarmos nenhum salário até lá, o que espero que não aconteça, teremos dois meses de salários em atraso», disse António Soares, à margem do Estoril Open em ténis, que decorre até domingo no Complexo Desportivo do Jamor.

O dirigente dos ‘azuis’ afirmou que o clube vai tentar pagar o salário de Março «durante a próxima semana» e colocou de parte a possibilidade de os jogadores avançarem com pedidos de rescisão de contrato, já que isso não aconteceu em situações idênticas.

António Soares lamentou ainda a difícil situação financeira que o Belenenses atravessa, embora reconheça que «era previsível que viesse a acontecer, tendo em conta os incumprimentos que foram acontecendo ao longo dos últimos anos», e aproveitou para esclarecer a situação de Barge.

«O Barge não rescindiu. O contrato está válido ate final da época. O Barge é jogador do clube até 31 de Maio e está sujeito a um processo disciplinar. Não houve rescisão de contrato e nem havia razão para haver», explicou.

O presidente do clube do Restelo, que substituiu João Almeida, por impedimento deste, mostrou-se ainda «confiante» na manutenção da equipa na Liga de Honra e reiterou a vontade de que José Mota continue como técnico.

«Da nossa parte sim, mas não sei até que ponto um treinador como José Mota estaria disponível para participar num projecto de uma II divisão B. Só ele poderá dar essa resposta. Estamos satisfeitos com o trabalho que tem desenvolvido», referiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.