A formação saudita, que contou com o médio Paulo Jorge (ex-Marítimo) durante os 90 minutos, construiu o resultado na primeira parte, com golos de Naif Hazizi, aos 18 e 33 minutos, e Abdelmalek Ziaya, aos 19.

Já o médio Nuno Assis não fez parte das escolhas de Manuel José, pois encontra-se a recuperar de uma pequena lesão na coxa.

Do lado do Belenenses, o técnico Rui Gregório apostou num esquema 4x1x3x2, fazendo alinhar Assis, Duarte Machado, Rodrigo Arroz, Filipe Paiva, Tiago Gomes, Fábio Marques, Barge, Celestino, André Pires, Fredy e Abel Camará.

Os “azuis” tiveram sempre muitas dificuldades em contrariar a rapidez e experiência do adversário, em especial no primeiro tempo, sendo que dois dos três golos sofridos tiveram origem em lances rápidos de contra ataque, com a bola a ser lançada nas costas da defesa belenense.

No segundo tempo, Rui Gregório fez alinhar um “onze” totalmente diferente e a formação do Restelo mostrou-se mais desinibida, com maior agressividade na procura da bola, embora sem criar qualquer oportunidade de golo.

No final do encontro, o técnico do Belenenses lamentou a “facilidade” com que foram sofridos os golos, embora tenha reconhecido que se trata de um “processo normal de crescimento da equipa” e que “alguns princípios já estão a ser assimilados”, após uma semana e meia de trabalho.

Já Manuel José mostrou-se contente com o “bom futebol” apresentado pelo Al-Ittihad e admitiu que a sua nova equipa tem sido “uma boa surpresa”, antes de elogiar Nuno Assis: “Com ele a equipa melhora 40 por cento”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.