Bruno Morais e Pedro Soares rescindiram de forma unilateral com o Desportivo das Aves, após sucessivos salários em atraso, confirmou hoje à agência Lusa fonte da SAD do clube despromovido à II Liga de futebol.

Os dois jogadores chegaram há um ano ao emblema do concelho de Santo Tirso e evoluíram pela equipa sub-23, antes de subirem ao plantel principal, com o defesa a participar em 15 jogos e o avançado a somar nove aparições, numa época afetada por diversos incumprimentos de ordenados, que motivaram 15 desvinculações de atletas.

Bruno Morais e Pedro Soares juntam-se nesse lote de saídas unilaterais aos guarda-redes Quentin Beunardeau e Raphael Aflalo, aos defesas Afonso Figueiredo, Cláudio Tavares, Jonathan Buatu e Mato Milos, aos médios Aaron Tshibola, Estrela, Pedro Delgado e Reko Silva e aos avançados Kevin Yamga, Rúben Macedo e Welinton Júnior.

A administração da SAD, liderada pelo chinês Wei Zhao, também assistiu às rescisões da equipa técnica liderada por Leandro Pires, vencedor da Liga e da Taça Revelação há duas temporadas, e de Nuno Manta Santos, que conduziu os nortenhos à 18.ª e última posição da I Liga de 2019/20, com 17 pontos, consumando a descida à II Liga.

O Desportivo das Aves falhou os requisitos de licenciamento das provas profissionais da próxima época junto da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mas dispensou o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, acatando um desfecho que determinará a despromoção por via administrativa ao Campeonato de Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.