"No sábado apresentei a minha decisão. Disse ao presidente que queria fazer este jogo para não prejudicar o clube e foi isso que aconteceu. Sinto muito orgulho nesta equipa técnica e nestes jogadores", disse o técnico, de 48 anos, adiantando que poderá fazer uma pausa.

"É sempre bom parar", disse, acrescentando que "como qualquer treinador desempregado", também espera que o telefone toque.

Carlos Pinto chegou ao comando da formação ribatejana em março deste ano, para substituir João Tralhão, mas não conseguiu evitar a despromoção da equipa, que viria posteriormente a ser convidada a disputar a II Liga novamente.

Já esta época, o técnico viu a equipa ser eliminada da Taça da Liga pelo Arouca (0-3), enquanto no campeonato sofreu dois desaires, diante do Penafiel (0-1) e Nacional (4-0), e averbou um empate, esta segunda-feira, diante do Sporting da Covilhã (1-1).

Na hora da despedida, o técnico, com currículo na I e II Liga, agradeceu o apoio dos adeptos unionistas e lamentou não ter visto o Campo do Cevadeiro "cheio".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.