O FC Porto B perdeu em casa com a Oliveirense por 2-1, na 22.ª ronda da Segunda Liga, e continua no último lugar da prova. O jogo ficou marcado pela expulsão de Bernardo Folha (fazia a sua estreia na equipa B), filho do treinador da equipa B do FC Porto, num lance onde o árbitro João Bento considerou jogo perigoso.

No final do encontro, o capitão de equipa, Pedro Justiniano, deu voz à revolta da equipa.

"Estão a brincar com o trabalho dos jogadores, treinadores e staff. Não vamos cair nisso, vamos continuar a trabalhar e os resultados vão aparecer. Foi um golpe duro, ninguém percebeu a expulsão, só o árbitro percebeu… É continuar a trabalhar como estamos a fazer, isto não vai acabar assim, eles tem de saber que nos estão a prejudicar muito", disse o central ao 'Porto Canal'.

Já o técnico do FC Porto B, António Folha, falou em "gente escondida", com críticas para a arbitragem.

"Isto não é fácil, os treinadores têm de vir aqui sempre e tanta gente por aí escondida... Mas é a vida, somos nós que perdemos, os jogadores estão frustrados e é difícil falar. Entrámos bem, com personalidade, com as dinâmicas que temos durante a semana. Assim foi, marcámos e podíamos ter feito mais golos. Depois, na primeira vez que o adversário foi à nossa baliza, marcou, foi feliz. A nossa equipa ficou intranquila. Tentámos ajustar e as coisas foram de encontro ao que queríamos. Mas não conseguimos, com menos um é muito difícil para uma equipa que tem sofrido muitos revés, o ânimo destes miúdos fica em baixo. Tentámos, a partir daí, mais com o coração do que com a cabeça, nestas idades é assim. Estamos tristes e frustrados mas depois de amanhã começamos a trabalhar outra vez com muito profissionalismo", comentou o treinador do FC Porto B também ao 'Porto Canal'.

Sobre a expulsão de Bernardo Folha, nove minutos depois de ter entrado, António Folha frisou que os seus pupilos se recordam do que lhes tem acontecido a nível de arbitragens na Segunda Liga, algo que tem dificultado o trabalho.

"Os jogadores têm memória e sabem o que tem acontecido. Com menos um fica mais difícil. Eles têm memória, jogam há muito tempo. A equipa é jovem, tem memória do que aconteceu e fica intranquila. Começam a não acreditar. Estamos a trabalhar com jovens e crescê-los neste contexto é difícil. Queremos fazê-los ver que queremos qualidade em todo o futebol português mas assim fica difícil…", atirou.

Depois de marcar aos cinco minutos por Toni Martinez, jogador da equipa principal, o FC Porto B permitiu a reviravolta: Pedro Machado empatou aos 31, Pedro Bortoluzo fez o 2-1 aos 73.

O FC Porto B continua no último lugar da Segunda Liga com 14 pontos, menos um que o Varzim, a outra equipa em zona de descida. A Oliveirense é 12.º com 21 pontos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto