O Famalicão recebeu e venceu este sábado o Chaves, por 4-3, em jogo da 26.ª jornada da 2ª Liga no qual os famalicenses jogaram quase toda a segunda parte com dez e garantiram os três pontos nos últimos segundos.

Os flavienses acabaram assim por não tirar partido da derrota do FC Porto, líder com 52 pontos, e agora têm os mesmos pontos, 46, que o Freamunde, que entretanto subiu à segunda posição.

O resultado penaliza um Chaves que já não perdia há 14 jogos, mas que este sábado esteve distante do seu rendimento habitual, e premeia um Famalicão corajoso, lúcido, que lutou até ao fim e que, apesar de ter jogado mais de 40 minutos em inferioridade numérica, acabou por ficar com os três pontos.

Foi por pouco que o Famalicão não marcou logo aos oito segundos, num lance em que a defesa visitante facilitou e Mauro Alonso desaproveitou um clara ocasião de golo.

O Chaves recompôs-se desse susto e adiantou-se no marcador graças a um grande golo de Luís Pinto (15 minutos), fruto de um remate colocadíssimo e sem hipótese para o guardião local.

O Famalicão empatou um minuto depois, num lance em que Leandro cruzou e Mauro, de cabeça, marcou.

O encontro tornou-se intenso e interessante, porque as duas equipas apostaram num futebol virado para o ataque e para a baliza contrária, e o Famalicão chegou ao 2-1, por Leandro, também de cabeça.

Antes ainda do intervalo, o Chaves empatou, por Braga, na sequência de um lance contestado pelo conjunto por alegado fora-de-jogo do dianteiro flaviense.

A segunda parte começou mal para o Famalicão, porque Mauro viu o cartão vermelho por um suposta entrada violenta sobre Barry, foi expulso e deixou a sua equipa reduzida a dez.

Mas foi em inferioridade numérica que o Famalicão surpreendeu o Chaves e conseguiu adiantar-se no marcador com um golo de Leandro, a aproveitar uma desatenção da defesa adversária.

O Chaves procurou reagir, ainda logrou empatar, por Barry (80'), em mais um lance polémico, mas o Famalicão mostrou-se uma equipa organizada em termos defensivos e manteve-se coeso.

Sucederam-se, entretanto, algumas picardias entre os jogadores, a contestação ao árbitro dentro de fora das quatro linhas intensificou-se e Leandro foi expulso quando já se encontrava no banco.

Nos segundos finais, o Famalicão ganhou um canto, que se revelou decisivo: com muita gente na área e uma grande tensão, o guardião António Filipe subiu para bola, segurou-as com as duas mãos e depois largou-a.

Luiz Alberto, à vontade, aproveitou a prenda e fez um golo fácil e talvez mais festejado do que aquele que Mauro marcou frente ao FC Porto, na quarta-feira passada, para a Taça da Liga, e que também valeu uma vitória.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.