O central brasileiro, emprestado pelo Benfica, marcou o único tento da partida aos oito minutos.

A beneficiar da condição de invicto nos oito jogos oficiais que disputou nesta temporada, o Belenenses desde cedo mostrou que queria continuar na senda dos bons resultados e alcançar os lugares cimeiros.

Apesar da réplica inicial dos visitantes, os “azuis” abriram o marcador por intermédio do central Léo Kanú - já havia sido decisivo frente ao Portimonense - a responder de cabeça a um canto apontado por Miguel Rosa.

A partir desse momento, o Belenenses controlou totalmente o encontro e poderia ter ido para o descanso com uma vantagem mais dilatada, em função das perdidas de Miguel Rosa e Rodrigo Antônio, além das “negas” de Tó Figueira a Abel Camará e Victor Lemos.

Em vantagem no marcador, a formação do Restelo tirou “o pé do acelerador” no segundo tempo, mostrando-se muito “macia” no meio-campo, e permitiu que o Freamunde fosse ganhando fôlego na procura do empate.

José Mota tentou corrigir a passividade da sua equipa, colocando Sidnei e Victor Silva no “miolo” do terreno, mas as alterações não surtiram efeito e, já em tempo de compensação, João Rodrigues ainda viu a barra negar-lhe a igualdade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.