"Sou responsável pelos resultados, mas, nesta altura, também responsável pela própria gestão do grupo, que, é público, vive um momento de indefinição directiva", disse o técnico.

Sem Direcção nem vencimentos há um mês, o plantel do Beira-Mar continua a "trabalhar de forma empenhada", e Jardim deixa mesmo um elogio: "Não posso apontar nada ao grupo, que apresenta uma atitude profissional no trabalho, e essa exigência é para manter."

É neste ambiente de indefinição que o Beira-Mar encara uma semana com três jogos, a começar pelo Chaves, anterior clube de Leonardo Jardim.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.