Embalados pela primeira vitória fora, conseguida no último domingo frente ao Estoril Praia, os leixonenses entraram no jogo com a motivação extra de poderem chegar à liderança, estando perto do golo logo ao minuto seis, quando Cauê cabeceou à trave e o esférico caiu a centímetros da linha da baliza defendida por Hugo Pinheiro.

A equipa de Augusto Inácio dominou a seu bel-prazer, com o CD Fátima a ser completamente subjugado. A baliza de Ricardo parecia um alvo inalcançável para os visitantes, que só aos 26 minutos conseguiram criar um perigo relativo, através de Edson.

Já o Leixões, indiferente à chuva diluviana que caiu no relvado do Estádio do Mar, atreveu-se a perseguir o golo, tentando-o, quer com remates de longe (Oliveira de longe, aos 24’), quer com pontapés de bicicleta (Espinho, aos 29’).

No entanto, só ao cair do pano do primeiro tempo, a igualdade foi desfeita, por culpa de Pinheiro, que agarrou uma bola atrasada por um colega. Livre indirecto e golo do Leixões, assinado por Oliveira.

No regresso dos balneários, as equipas depararam-se com um relvado alagado, desaconselhado à prática de futebol. Ainda assim, apesar do ritmo de jogo ter diminuído à medida que a bola ia ficando parada no relvado, Cauê descobriu uma brecha na defesa do CD Fátima e dilatou a vantagem.

 Os visitantes, que tentavam fugir aos últimos lugares da tabela, nunca conseguiram ameaçar a supremacia dos homens da casa, que mesmo no final do tempo regulamentar chegaram ao 3-0, por Cintra.

Apesar da vitória, a esperança do Leixões de subir ao primeiro lugar da tabela esfumou-se com o empate “caseiro” do Arouca, um resultado que permitiu ao líder continuar líder, agora isolado, já que o Gil Vicente só joga no próximo domingo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.