Diante do seu público, a Oliveirense queria regressar às vitórias no campeonato, mas pela frente encontrou uma equipa que soube reagir à desvantagem e acabou por estar mais perto de vencer o encontro.

A Oliveirense começou por dominar e andou sempre perto da baliza contrária nos instantes iniciais, mas acabou por ser o Estoril-Praia a dar o primeiro sinal de perigo: o central Willliam facilitou em zona proibida, Alex Afonso tirou-lhe a bola e, na cara de Bruno Vale, rematou ao lado.

Mas a equipa de Pedro Miguel reagiu da melhor maneira ao susto. O médio Zé Pedro rematou pouco por cima da baliza ao minuto 19 e aos 24 a Oliveirense chegou ao golo, por Rui Lima: Bruno Sousa marcou um canto na esquerda e, ao segundo poste, o médio só teve de encostar para o fundo da baliza do Estoril-Praia.

Até ao intervalo, o Estoril-Praia tentou reagir e Clodoaldo, de cabeça, obrigou Bruno Vale a uma das defesas da tarde, com os pés, a evitar que a bola fosse para o fundo da baliza da Oliveirense.

A segunda parte revelou um Estoril-Praia mais atrevido e decidido a chegar ao empate no encontro. Logo nos minutos iniciais, Clodoaldo isolou-se pela esquerda e obrigou Bruno Vale a aplicar-se para travar o remate.

Nos últimos 20 minutos os visitantes apertaram o cerco à baliza da Oliveirense. Após ver Chico Silva cortar-lhe um lance perigoso, aos 78 minutos Tiago Costa recebeu a bola à entrada da área e rematou forte ao ângulo superior esquerdo da baliza de Bruno Vale, que foi impotente para travar a “bomba” do defesa visitante.

Até ao final do encontro foi sempre o Estoril-Praia que esteve mais perto de chegar à vantagem no marcador, sendo a Oliveirense surpreendida pela rapidez da equipa de Vinicius Eutrópio, não conseguindo reagir à altura.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.