O treinador Paulo Alves afastou este domingo o cenário de estar de saída do Beira-Mar e garantiu que fica em Aveiro até que os responsáveis do clube da II Liga lhe transmitam o contrário.

"Não vou virar a cara a luta, enquanto as pessoas me quiserem no Beira-Mar vou continuar", garantiu o técnico, na conferência de imprensa após o empate caseiro 1-1 com o Desportivo de Chaves, da 40ª jornada.

Paulo Alves não alimentou polémicas sobre um possível cenário de cisão com o ainda líder da SAD, Omar Scafuro, referindo apenas: "Acima de nós há quem tome decisões, mas vamos sempre dar o máximo em prole do clube e da equipa".

O técnico não quis comentar o incidente da passada sexta-feira, quando cancelou o treino por não concordar com a inclusão de três jogadores para treinar à experiência, preferindo focar as atenções no empenho dos atletas.

O treinador sublinhou que "o plantel não é imune ou indiferente a nada", acrescentando que o seu objetivo passa apenas por "manter a equipa a trabalhar, a lutar e a acreditar seja contra quem for".

"Olhem para este jogo e vejam a fibra de que estes jogadores são feitos, nunca desistem de lutar e demonstram capacidade para lutar, nem que seja por um ponto", acrescentou o técnico, aludindo ao empate de hoje, selado com um golo de Alan Henrique, aos 90+5.

Paulo Alves mostrou-se "extremamente feliz e orgulhoso do grupo de trabalho e rematou: "Enquanto eles tiverem demonstração de querer e de fé, vou continuar com eles".

O plantel aveirense tem cerca de quatro meses de salários em atraso e vive uma situação diretiva incerta com a possibilidade da entrada de novos investidores para a SAD, que procura viabilidade e substituto para Omar Scafuro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.