O plantel do Leixões emitiu hoje um comunicado para dar a conhecer a situação difícil que atravessam os jogadores, em virtude dos «vários meses de salários em atraso» no clube da Liga de Honra de futebol.

A equipa mostra-se preocupada com o incumprimento dos «compromissos assumidos entre entidades exteriores e a administração da SAD do Leixões» e garante que se a situação não se alterar os jogadores serão obrigados a tomar medidas mais drásticas.

Contactado pela agência Lusa, o capitão da equipa leixonense, Nuno Silva, explicou que este comunicado «é apenas uma tomada de posição para defender os interesses dos jogadores e elementos da estrutura do futebol sénior».

«A situação está a tornar-se insustentável e era obrigatório fazer alguma coisa para chamar a atenção da cidade e dos adeptos para a situação real», explicou o jogador da equipa matosinhense.

Nuno Silva explicou ainda que «são quatro os meses de salários em atraso e que, deste modo, o grupo está a ficar sem condições de trabalho e o simples facto de deslocar para os treinos já se torna complicado».

O plantel apela ainda ao sentido de união com o objetivo de se encontrar uma solução para que a equipa continue a lutar.

«Está na altura de se unirem esforços e tentarmos todos juntos encontrar uma solução, pois, caso contrário, não teremos condições de continuar e seremos obrigados a tomar outras posições na defesa dos nossos interesses», diz ainda no comunicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.