O CD Trofense oficializou hoje através do seu sítio oficial na Internet a marcação de uma Assembleia-Geral para dia 22 de Junho, com o objectivo de pedir aos sócios que aprovem a intenção de venda de património.

Após a Assembleia-Geral (AG) de segunda-feira, na qual foi lida aos sócios uma mensagem do ainda presidente Rui Silva, ficou decidido agendar uma nova sessão especificamente para discutir o recurso à banca, que deverá ter como garantia o património do clube.

«Autorizar a direcção do clube a negociar com a banca e onerar bens imóveis do clube prazos e condições que entender», é o único ponto da ordem de trabalhos da convocatória assinada por Armando Dias para quarta-feira, 22 de Junho, pelas 20 horas.

O presidente da direcção, considerado por muitos trofenses o “mecenas” do clube, prolongou o mandato, em Janeiro, até ao final da época. Agora, o dirigente ameaça colocar o cargo à disposição caso esta solução não seja aceite pelos associados e a negociação com os bancos não chegue a bom porto.

Na AG de segunda-feira, Armando Dias, em nome da mesa e como porta-voz da direcção, adiantou que Rui Silva pretende reaver cerca de 2,5 milhões de euros do investimento pessoal que fez no clube, «estando disposto a libertar desse montante, e de imediato», cerca de um milhão para financiar a próxima época futebolística.

Em causa estão os dois imóveis que o clube possui em seu nome. O estádio está, de acordo com fonte do CD Trofense, «orçado em mais cinco milhões de euros», enquanto o complexo da Paradela, onde jogam as camadas jovens, está avaliado em «cerca de dois milhões de euros».

Caso os sócios e os bancos apoiem esta ideia da direcção trofense, Rui Silva promete manter-se em funções mais uma época e apostar na subida ao escalão máximo do futebol português. O cenário alternativo pode passar pela constituição de uma Comissão Administrativa liderada por Armando Dias.

Segundo os estatutos do clube, pelo menos cinco sextos dos sócios presentes terão de votar favoravelmente esta proposta da direção.

«O Dr. Rui Silva está disponível para continuar na liderança do clube por mais uma época, se os associados aprovarem a transferência de garantias e oneração do património imobiliário do Clube, avaliado em cerca de 7 milhões de euros. No caso da aprovação da proposta, o Dr. Rui Silva assume não só prolongar o seu mandato, como investir parte do dinheiro libertado na nova época, com o objectivo de apostar na subida à I Liga», pode ler-se no sítio do emblema da Trofa na Internet.

O CD Trofense terminou a última edição da Liga de Honra na terceira posição, a apenas um ponto do Gil Vicente e do Feirense, falhando o acesso ao escalão principal do futebol português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.