"Somos sérios demais e respeitamos as coisas, no futebol e fora do futebol. Temos 24 jogadores profissionais com contrato na Liga", afirmou Ramiro Rodrigues, respondendo à acusação de que o Carregado não teria os 12 jogadores profissionais obrigatórios nos regulamentos.

O dirigente acrescentou: "Depois, o Carregado tem acordo com os jogadores como profissionais e efectua os pagamentos que tiver de fazer obrigatórios por lei. Os atletas podem ter as actividades que entenderem, extra futebol, desde que descontem sobre isso. Esse senhor não sabe que a Liga baixou os valores, que passaram de 1 490 euros para os actuais 1 125 euros. O Carregado nunca ficou, nem fica a dever nada a ninguém".

Álvaro Cerqueira, presidente do Gondomar, mostrou-se hoje indignado com uma notícia veiculada pelo Jornal de Notícias, na qual revela que o Carregado apenas tem 11 jogadores profissionais.

O próprio orçamento do Carregado, estimado em 300 mil euros, foi alvo de Álvaro Cerqueira: "Ora, se o ordenado mínimo de um jogador nos campeonatos profissionais é de 1 490 euros e se o plantel do Carregado tem 24 jogadores, como é possível terem um orçamento tão baixo".

Confrontada com as queixas do Gondomar, uma fonte da Liga limitou-se a referir que "o Carregado cumpre com todos os regulamentos em vigor".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.