O técnico não resistiu às três derrotas consecutivas (duas para o campeonato e a eliminação da Taça de Portugal, em casa, ante o Louletano, da II divisão), a última das quais diante do Gil Vicente, domingo, em casa.

O Desportivo das Aves até começou bem a época, qualificando-se para a fase seguinte da Taça da Liga e somando quatro pontos nas duas primeiras jornadas.

Contudo, à quarta jornada ocupa a 13ª posição na tabela classificativa com os mesmos quatro pontos, a apenas três dos lugares de subida, mas a dois dos de descida.

Os responsáveis avenses consideraram ser esta a altura ideal para tomar esta decisão uma vez que o campeonato da II Liga vai parar durante três semanas dispondo, assim, de mais tempo para encontrar o sucessor de Micael Sequeira.

“Fizemos uma aposta grande esta época e o próprio treinador também assumiu que queria subir, mas a actual situação da equipa é difícil porque o saldo que temos, contando com os jogos da Taça da Liga, é muito negativo”, justificou Armando Silva.

O dirigente contou que as partes reuniram segunda-feira ao final do dia e chegaram à conclusão que o melhor seria rescindir o contrato, o que aconteceu de forma “amigável”.

Armando Silva garantiu ainda que não há ainda nenhum nome em carteira, mas que nos próximos dias poderá haver novidades.

Devido à saída de Micael Sequeira, que assumiu o comando técnico do Aves em Junho de 2009 tendo alcançado o nono lugar na época passada, o treino de hoje da equipa foi cancelado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.