Nílton Terroso realizou hoje o seu primeiro treino ‘a sério’ como o novo treinador do Atlético, equipa que ocupa o 15.º lugar da II Liga de futebol, com 39 pontos amealhados cumpridas 32 jornadas.

Terroso sucedeu a Pedro Hipólito e chegou ao Atlético através de "um convite surpreendente da SAD do clube", até porque ainda não tinha qualquer experiência como técnico no futebol português.

"A equipa de sub-21 do Cardiff, no País de Gales, foi a minha última experiência como treinador. Nos derradeiros meses tenho estado parado", disse hoje à agência Lusa o novo timoneiro dos alcantarenses.

Nílton Terroso nasceu há 36 anos, em França, foi viver para o Canadá com apenas dois anos, possui dupla nacionalidade (canadiana e portuguesa) e há onze anos que não vinha a Portugal. Entretanto, formou-se como treinador em Inglaterra e no País de Gales, tendo tirado o curso UEFA Pro A e o mestrado em ciências do desporto.

"No futebol moderno, os treinadores têm de dominar as diversas valências e áreas do treino. É verdade que eu, em Cardiff, dava instruções aos jogadores sob nutricionismo, entre outras coisas. Agora, no Atlético, pretendo que a equipa jogue um futebol alegre e atrativo, que possa reconquistar os adeptos do clube", frisou.

Nílton Terroso tem como ‘coroa de glória’ como futebolista o facto de ter integrado o plantel do Lourinhanense, tendo jogado ao lado de um valor emergente na altura, como Simão Sabrosa. "Nunca fui longe como jogador", disse.

Mas Nílton Terroso não vive preso ao passado. O futuro imediato passa pelo Atlético. “Já deu para ver que o clube possui um plantel muito interessante, com jogadores de qualidade. Pelo que já observei, acredito que a equipa tem condições para garantir a manutenção na II Liga e subir alguns degraus na classificação. O mais importante, agora, é que o clube ganhe estabilidade e que as relações entre a SAD e a direção melhorem", adiantou.

Até ao jogo de sexta-feira, frente ao Feirense, em Santa Maria da Feira, da 33.ª jornada, o novo timoneiro alcantarense não vai ter tempo para mudar muita coisa.

"O mais importante, agora, não é mexer nos aspetos táticos. Queremos formar um conjunto que goste de ter a posse de bola e que a saiba utilizar em proveito do coletivo", disse Nílton Terroso, que admitiu ser adepto do futebol de ataque.

Após o treino matinal de hoje, Nílton Terroso pretende apresentar-se à direção do clube, liderada por Almeida Antunes e que entrou em rota de colisão com o chinês Xiaolong Ji, o responsável da SAD do Atlético.

"O meu papel é resolver as coisas dentro do campo. Mas quero conhecer as pessoas que lideram o clube", sublinhou o novo timoneiro do conjunto lisboeta, que tem contrato até ao final da presente temporada e que possui uma cláusula de opção por mais uma época.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.