Varzim e Santa Clara empataram este domingo 0-0, numa partida da 30.ª jornada da 2.ª Liga pautada pelo equilíbrio e pelas poucas oportunidades de golo.

As duas formações, que ainda têm ambições na luta pela subida de divisão, acabaram por não aproveitar o empate do segundo classificado, o Desportivo das Aves, no arranque da jornada, num nulo que se justifica.

Apostando numa estratégia de contenção, o conjunto açoriano, que não teve o técnico Carlos Pinto no banco devido a castigo, sentiu-se sempre confortável com o empate, contemporizando o jogo e criando algum nervosismo na formação poveira.

Já o Varzim, com o futebol demasiado previsível, poucas vezes incomodou o último reduto do Santa Clara, ainda que tivesse mais iniciativa de jogo durante a primeira parte.

Além de duas tentativas de Nelsinho, em remates de meia distância, os locais apenas ameaçaram verdadeiramente numa finalização de Rui Costa, após passe de Rui Coentrão, travada pelo guarda-redes Serginho.

Na outra baliza, Paulo Vítor quase não teve trabalho e foi num erro seu, ao largar uma bola aparentemente fácil, que surgiu a única situação de perigo relativo, no primeiro tempo.

Na segunda parte, o Santa Clara arriscou mais e teve as melhores ocasiões para marcar, enquanto os alvi-negros não criaram um real oportunidade de golo.

Já depois do central Sandro ter tirado uma bola sobre a linha de baliza, foi num lance de contra-ataque que Osama teve a melhor situação de toda a partida, mas, na cara do guarda-redes Paulo Vítor, acertou na barra.

Na parte final, os poveiros ainda contestaram uma alegada grande penalidade sobre Rui Coentrão, levando à expulsão do técnico João Eusébio, por protestos, mas o nulo acabou por prevalecer.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.