Depois de insucessos no torneio de apuramento ao campeonato do mundo de futebol de 2014, a seleção nacional começou da melhor forma a qualificação para a III edição da Taça CHAN, a disputar-se na África do Sul, após vencer hoje (0-1) a Swazilândia, em desafio da primeira “mão”.

Sob olhar de cerca de três mil espectadores (o estádio tem capacidade para 10 mil lugares), dos quais a ministra dos Desportos da Swazilândia, Mlobsile Ndloun, a equipa anfitriã teve a iniciativa de chegar à baliza angolana, aos quatro minutos, mas o guarda-redes Landu esteve atento no lance e bloqueou com maior segurança.

A passagem do minuto sete, o uruguaio Gustavo Ferrin viu as suas contas alteradas, fruto da lesão contraída por Ito e substituído por Manuel.

Os Palancas Negras depois de algum estudo mútuo, já que não conhecia o futebol praticado pelos Sihlangu, designação oficial da equipa anfitriã, reverteram o rumo dos acontecimentos, obrigando o adversário a recuar no último reduto.

Aos 21 minutos, Job a 15 metros do limite da grande área fez o gosto ao pé, com golo de belo efeito de chapéu ao guarda-redes Nhlanhla Gwebu, que viu a bola a passar por cima da cabeça.

Os angolanos continuaram a atacar a linha mais recuada dos swazis, com falhanços sucessivos, aos 38 e 42 minutos, por Mabululu e Mingo Bille, apenas com o guarda-redes contrário.

Um contra-ataque dos anfitriões quase deu o golo de empate, mas Landu, seguro nos seus movimentos, impediu novamente o pior para os Palancas Negras.

Após o intervalo, Angola manteve a postura, trocando a bola com alguma facilidade, fruto dos desníveis existentes entre os dois conjuntos em termos de experiência e maturidade. Foi assim que, aos 56 minutos, Mingo Bille desperdiçou mais uma ocasião de golo.

Aos 66, Landu foi outra vez obrigado a uma intervenção apertada, na sequência de um livre direito que levava a trajectória de golo, o mesmo repetido aos 70 minutos, com o guarda-redes do Recreativo do Libolo (campeão nacional) a estar em evidência.

Já aos 78 minutos, Job isolou Mingo Bille, mas este possibilitou a saída antecipada do guarda-redes contrário que defendeu quase na linha da grande área.

Com esta postura hoje perante um adversário menos cotado, Angola (vice-campeã) poderá confirmar o seu objectivo no dia 29 de Junho no país, para a segunda mão desta prova reservada a jogadores que actuam nos campeonatos internos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.