Vitória de ontem
"Cumprimos com a nossa missão e felizmente estamos a depender única  e exclusivamente de nós próprios. Foi uma vitória mais do que justa, muito importante para nós", revelou o guardião Beto à chegada à concentração da selecção nacional. O guarda-redes foi o único jogador a chegar depois das 20h30 (chegou às 20h51), mas estava devidamente autorizado pela equipa técnica.

Para Beto, "o espírito sempre foi optimista e positivo" no seio da equipa das quinas. "Por mais que as coisas não corressem da forma como nós gostaríamos, o espírito sempre foi bom.  Após esta vitória, suscitou ainda mais aquele espírito colectivo e de acreditar que é possível", frisou.

Nem o facto de ter ido para a bancada em vez de estar junto dos colegas foi recebido de forma negativa. "É normal. Tem havido rotatividade nos guarda-redes e não tenho o porquê de achar anormal o facto de eu ter ido para a bancada. Somos três e respeito toda e qualquer decisão do seleccionador. As escolhas ficam para quem de direito", sublinhou Beto.

Relativamente ao play-off, o guarda-redes do FC Porto defende que "no futebol não há jogos fáceis" ou "vitórias previamente conquistadas". "Sabemos as dificuldades com as quais ainda nos vamos deparar, mas lá está, acima de tudo temos um espírito forte e optimista relativamente àquilo que se avizinha. Portanto tem tudo para dar certo, temos tudo para estarmos presentes no Mundial".

Beto abordou ainda a lesão de Ronaldo, para deixar uma palavra de solidariedade ao avançado. "Sei que ele estava triste e desapontado por não ter podido dar o seu contributo à selecção, mas disse-lhe para não se preocupar, para recuperar, porque o mais importante é a integridade física dele. Ele tentou, deu tudo por tudo para jogar, mas não foi possível", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.