Excesso de lotação (cerca de 20 mil pessoas), estádio sem condições de segurança, o trabalho da comunicação social muito condicionado. Estas são apenas algumas das situações que se vivem em Zenica.

Por norma, a FIFA não permite este tipo de situações. Caso suceda algum problema, as saídas de emergência  estarão mais condicionadas.

Se no Estádio da Luz, o hino bósnio foi respeitado, com o silêncio habitual nestas situações, já em Zenica os assobios foram mais que muitos enquanto entoava "A Portuguesa", numa atitude de desrespeito.

Gilberto Madaíl, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, que por norma tem lugar na tribunal VIP, foi sentado no meio da multidão.

O Bósnia-Portugal joga-se em Zenica e pode permitir o acesso da Selecção Nacional ao Mundial da África do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.