Domingos Paciência não ficou surpreendido com os três golos apontados por André Silva às Ilhas Faroé. Para o antigo avançado do FC Porto e da Seleção Nacional, o surgimento de novos valores como André Silva, Gonçalo Paciência ou José Gomes demonstra que a escassez nesta posição poderá estar em vias de extinção no futebol português.

Em entrevista ao SAPO Desporto, Domingos Paciência começou por abordar os três golos apontados por André Silva no jogo de apuramento para o Mundial 2018, e considerou que o 'hat-trick' do jovem avançado de 20 anos vem no seguimento de factores propícios ao êxito do jogador do FC Porto.

"Acho que a qualidade dele já está bem vincada naquilo que ele consegue fazer e às características que tem. Portanto aquilo que tem acontecido ao André Silva é uma prova evidente daquilo que é a capacidade de trabalho, a capacidade de acreditar, e aliado à inteligência que tem a jogar na área, saber aproveitar as oportunidades e a procura da bola quando está dentro da área e acaba por ser um jogador com eficácia, e não haja dúvida que o está a fazer e bem", começou por dizer o antigo treinador do SC Braga e Sporting C. Portugal.

Recordando o seu passado na seleção nacional, Domingos Paciência frisou também que é sempre mais fácil jogar entre os melhores quando não há muito tempo para assimilar um sistema de jogo, e que não é fácil marcar três golos num jogo, mesmo perante um adversário de qualidade mais modesta como foi o caso das Ilhas Faroé.

"Mesmo com conjugação e o contexto em que foi tenho de dar todo o mérito [ao André Silva]. Durante o percurso que nós fazemos na selecção há jogos que temos mais fáceis, outros mais difíceis, portanto acho que não deixa de ter o seu valor porque hoje em dia é difícil fazer três golos contra qualquer equipa, mas é bom para o futebol português aparecer um avançado que esteja a fazer a diferença e a ganhar o espaço", frisou Domingos Paciência.

"A seleção normalmente é composta pelos melhores e se é composta pelos melhores é mais fácil de jogar com os melhores, era assim que eu via nos meus tempos de jogador. Acho que é sempre bom jogar a esse nível quando tens os melhores ao teu lado. É evidente que na Seleção não há tempo para fazer um trabalho muito profundo em relação às dinâmicas e o próprio sistema não é tão bem consolidado mas a diferença faz-se na qualidade dos jogadores", considerou o antigo jogador do FC Porto e da Seleção Nacional.

Questionado sobre o surgimento de uma nova vaga de avançados portugueses com muita qualidade como André Silva, Gonçalo Paciência ou José Gomes, Domingos mostrou-se satisfeito por haver oportunidades para uma nova geração de 'homens-golo'.

"Já era hora de aparecerem pontas de lança e começar a aparecer em quantidade porque fazem falta ao futebol português e acho que isso é bom para o futebol português é uma posição onde existe sempre muita carência e esperemos que no futuro isso já esteja salvaguardado e pelos vistos os que estão a aparecer estão bem e de certeza que vão aparecer outros como o Rui Pedro do FC Porto, há vários e ainda bem", sentenciou Domingos Paciência.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.