Portugal mostrou estar já a um bom nível ao vencer a Argélia por 3-0 na Luz, no último jogo de preparação antes da partida para a Rússia. Gonçalo Guedes foi o Homem do Jogo, com dois golos e pormenores que o colocam à frente de André Silva para um lugar no onze. Bruno Fernandes foi outro dos destaques. CR7 voltou mas ficou em branco.

No derradeiro teste antes da viagem para a Rússia, Fernando Santos contou com o astro da equipa pela primeira vez. Cristiano Ronaldo saltou, como era de esperar, para o onze, numa frente de ataque que contava ainda com Gonçalo Guedes em vez de André Silva. De resto, nada de novo, num onze muito próximo daquele que será escolhido por Fernando Santos para o jogo inaugural do Mundial2018 com a Espanha.

A Argélia, que falhou a qualificação para o torneio, contava com o portista Brahimi a capitão, numa onze que tinha ainda o ex-Sporting Islam Slimani na frente, com Riyad Mahrez direita. A seleção treinada por Rabat Madger, antigo jogador do FC Porto (o Sr. do calcanhar de Viena, na primeira Liga/Taça dos Campeões do FC Porto), vinha de uma derrota por 3-2 em casa com a seleção de Cabo Verde, num jogo onde a crítica argelina não poupou o técnico e os jogadores.

Portugal entrou determinado a mostrar pergaminhos de campeão da Europa. Moutinho viu o guarda-redes Abdelkadir Salhi negar-lhe o golo logo aos dois minutos, num livre de Cristiano Ronaldo que foi desviado na barreira. Aos nove, o inglês Craig Pawson anulou um golo limpo a Cristiano Ronaldo, por suposto fora-de-jogo. O capitão da seleção das Quinas estava em jogo no momento do passe de Gonçalo Guedes.

Mas apenas o tempo podia atrasar o tento de Portugal e nem podia demorar, dadas as facilidades com que Portugal entrava no último reduto dos magrebinos. A seleção da Argélia pouco ou nada queria com o jogo. Pouca intensidade, muitas perdas de bola ainda na primeira fase de construção, pouca mobilidade na frente e pouca criatividade e dinâmica dos médios, ajudavam a que Portugal não tivesse de correr muito para ganhar a bola.

Decorridos 17 minutos, surgiu o golo de Portugal, numa combinação 'Made in Benfica'. William descobriu Bernardo Silva nas costas da defensiva argelina, o baixinho do City deu de cabeça para a entrada de Gonçalo Guedes rematar de primeira, fazendo o 1-0.

Os 53.014 espetadores que marcaram presença na Luz, apesar da chuva que ia caindo na fria noite lisboeta, iam puxando pelos campeões da Europa, com palmas, cânticos e a famosa Onda Mexicana. No relvado, os jogadores iam respondendo, com bons pormenores, com destaque para Cristiano Ronaldo, Gonçalo Guedes, Bruno Fernandes e Bernardo Silva. O capitão viu o guarda-redes Salhi negar-lhe o 2-0 aos 22 minutos mas aos 37 surgiu mesmo o segundo de Portugal. Cristiano Ronaldo, descaído para a esquerda, tirou um centro bem medido para a cabeça de Bruno Fernandes, que apareceu entre os centrais magrebinos a fazer o 2-0.

A goleada que o intervalo pedia só não aconteceu porque o calcanhar traiu Bruno Fernandes. Na melhor jogada de Portugal em todo o jogo, tudo ao primeiro toque entre Gonçalo Guedes, Bruno Fernandes e Cristiano Ronaldo, o médio do Sporting acabou servido dentro da área pelo capitão mas em vez de rematar para golo, quis devolver para CR7, de calcanhar. A bola acabou por bater-lhe no pé de apoio, perdendo-se assim uma grande oportunidade.

O intervalo chegava com Portugal a vencer, num jogo com bons pormenores individuais mas onde se esperava mais da Argélia.

O segundo tempo não foi muito diferente do primeiro, embora jogado a um ritmo mais baixo. Portugal continuava a dominar, a Argélia tinha muitas dificuldades em criar perigo. No primeiro tempo, de registar dois excelentes momentos de Brahimi e Mahrez, as duas principais estrelas da equipa.

Cristiano Ronaldo ficou perto de marcar aos 50 minutos mas o seu remate bateu no corpo do guarda-redes argelino, que tinha largado a bola antes. Guedes também podia ter feito o 3-0 mas falhou o encosto ao segundo poste, a passe de Ronaldo. Mas esta era a noite de Gonçalo Guedes que bisou aos 55, de cabeça, a passe de Raphael Guerreiro. Mais um lance onde a defensiva argelina falhou.

Os dois técnicos aproveitaram para ver outros jogadores em ação, com muitas substituições que fizeram cair o ritmo de jogo. Fonte, Quaresma, João Mário, Mário Rui e André Silva foram lançados por Fernando Santos no segundo tempo. Cristiano Ronaldo também saiu mas antes tentou um golo de bicicleta só que acabou por falhar na bola, ao segundo poste, a passe de Bruno Fernandes.

Aos 82 minutos João Mário colocou a bola no fundo das redes, a passe de Guedes mas o árbitro, após consultar o VAR, anulou a jogada já que Guedes tinha dominado a bola com o braço. Mesmo a terminar, Rui Patrício negou o golo aos argelinos, com uma grande defesa, a segunda que fez no jogo.

Portugal mostrou estar melhor, em relação aos últimos jogos, num encontro onde Gonçalo Guedes lançou uma forte candidatura ao onze, tal como Bruno Fernandes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.