"Aliviado e realizado", foram estas as palavras utilizadas por Carlos Queiroz depois de ter passado ao "Play-off", ontem à noite com uma vitória sobre a Malta por 4-0, e que poderá dar acesso à fase final do Mundial 2010, a realizar-se na África do Sul. No entanto, o técnico disse que "a parte mais difícil deste apuramento ainda não acabou, ainda faltam duas finais, mas todos juntos conseguimos lá chegar".

Caso Portugal seja uma das quatro equipas europeias apuradas no "Play-off", Queiroz irá sentir que concretizou o seu "grande sonho".

Questionado sobre as decisões que o levaram a afastar Quim da baliza portuguesa, depois do guarda-redes encarnado sofrer uma goleada frente ao Brasil em jogo particular, Carlos Queiroz afirma que "todas as decisões com o Quim ou outro jogador são resultado da observação através do sistema instalado na Federação".

"A braçadeira de capitão a Ronaldo está bem entregue", disse o técnico acrescentando que "não existem problemas no balneário da Selecção". Isto porque existiam boatos que Simão teria ficado aborrecido por não ser ele o escolhido. "A escolha (do capitão) deveu-se a um percurso já feito no passado que não podia quebrar", justificou Queiroz.

Carlos Queiroz rematou a entrevista dizendo que o seu trabalho ao serviço da selecção é a "razão e a motivação" da sua vida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.