A selecionadora portuguesa de futebol, Mónica Jorge, disse esta segunda-feira que a seleção feminina «está confiante» e «motivada» pelos últimos resultados e que «pode vir com um bom resultado da República Checa».

Hoje, na concentração da seleção para os próximos jogos do apuramento para o Euro2013 – em Pisek com a República Checa, no sábado, e em Barcelos com a Dinamarca, a 26 de outubro -, Mónica Jorge avaliou os adversários.

«A República Checa (26.ª do “ranking” FIFA) é um adversário que em casa é difícil de se bater, muito agressiva, está acima do nosso ranking e fora ainda mais difícil se torna, mas a equipa está confiante e motivada», disse a treinadora.

Mónica Jorge deixou a ideia de a seleção estar focada na República Checa, provavelmente o adversário direto de Portugal e avaliando a qualidade da Dinamarca (14.ª), a grande candidata a vencer o grupo e a ter um apuramento direto.

«A Dinamarca é a candidata a ganhar o grupo. Tem maior experiência, a nível de jogadoras, a nível internacional, com presenças em campeonatos da Europa», explicou.

Depois de vencer a Arménia por 8-0, a selecionadora portuguesa disse ter perfeita noção que os próximos jogos são “uma história diferente” e falou na importância de conseguir no sábado, em Pisek, «um bom jogo», preparatório para a receção à Dinamarca.

Para o Europeu, competição para a qual Portugal nunca se apurou, segue a seleção vencedora do grupo e ficará ainda em aberto uma vaga para a segunda, num lote de segundos melhores ou com a necessidade de disputar um “playoff”.

Do seu grupo, Portugal (34.º) está abaixo de Dinamarca e República Checa na hierarquia mundial e à frente de Áustria (40.ª) e Arménia (112.ª), devendo a equipa das “quinas” discutir o apuramento com checas e austríacas.

O crescimento de resultados da seleção feminina – demonstrado com a vitória frente à Finlândia no Algarve (2-1) – dá também otimismo a Mónica Jorge, com a selecionadora a acreditar que as surpresas também existem.

«O grupo vai dar tudo o que tem para obter os melhores resultados, e o sonho de chegar a uma fase final de um campeonato da Europa é o que nos alimenta», disse.

Entre as internacionais portuguesas, a capitã Edite Fernandes, jogadora dos espanhóis do Saragoça, considera que «são dois jogos difíceis» e que a seleção vai tentar desde já tirar «algum proveito».

Edite Fernandes diz que o objetivo é ir «jogo a jogo», mas que existe «o sonho de chegar a uma fase final de um campeonato da Europa», o que seria, acrescentou, «o ponto alto do futebol feminino» em Portugal.

Menos experiente do que a capitã Edite Fernandes, que soma 97 internacionalizações, é a médio Melissa Antunes, com 10 presenças na equipa, referindo que espera dificuldades, mas acredita em vitórias e porque «a teoria é diferente da prática».

A seleção feminina treina no Estádio Nacional até quinta-feira, dia em que viaja para a República Checa, seleção que defronta no sábado em Pisek, às 14h00 de Lisboa.

O jogo com a Dinamarca disputa-se a 26 de outubro, no Estádio Cidade de Barcelos, às 15h00.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.