António Simões, em declarações ao SAPO Desporto, não se mostrou surpreendido com a saída de Paulo Bento do cargo de selecionador português, após a derrota com a Albânia por 1-0 no passado domingo.

“Vi uma grande contestação. O país não estava com Paulo Bento e por isso não é surpreendente. Obviamente que ficaria surpreendido se não tomassem uma decisão. Agora, como é óbvio acaba por ser um alívio para o Paulo Bento”, começou por dizer o anterior membro da equipa técnica de Carlos Queiroz.

O antigo internacional considera que após o jogo com a Albânia se criou um clima de suspeição pouco recomendável.

“Obviamente que o resultado com a Albânia deixou pouca margem para que Paulo Bento se sentisse confortável em continuar e criou vento a favor para que se tomasse uma decisão destas. Veio também ao de cima um certo clima de afastamento entre os jogadores e o treinador. Não vou por aí. O discurso dos jogadores em geral é um discurso bastante inquinado. O treinador que vem, recebe elogios e para aquele que sai, por norma, não há uma palavra”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.