"Foi um passo importante. Sabíamos o que tínhamos de fazer neste jogo e o que vamos ter de fazer nos próximos jogos. Passa tudo por vencer e foi isso que fizemos, nesta primeira de quatro finais", frisou o técnico português.

Oceano considerou a jornada "proveitosa", somando a vitória portuguesa ao empate de Inglaterra na Lituânia (0-0): "Neste momento, o que depende de nós é ganhar os jogos que faltam. Se os adversários perderem pontos, melhor, mas isso não conseguimos controlar", referiu.

"No que conseguimos controlar, os nossos jogos, vamos fazer tudo o que for possível para estar na corrida até final da qualificação. Vamos ver nos últimos jogos se estaremos nessa corrida mas eu acredito que sim", acrescentou.

Sobre o jogo, o seleccionador nacional considerou a vitória justa, mas ressalvou que o golo dos gregos, já em período de descontos, não era merecido.

"Merecíamos ganhar por mais golos de diferença, foi pena que, com o jogo completamente controlado em 2-0 e o adversário nas 'cordas', tivéssemos permitido o golo deles, que foi inteiramente imerecido", afirmou.

Oceano destacou que "a subida de intensidade na segunda parte teve a ver com o trabalho de desgaste feito sobre a equipa grega na primeira parte, que os deixou de rastos em termos físicos e abriu espaço para as suas falhas de marcação e mais situações de finalização da nossa parte".

O seleccionador da Grécia, Nikos Nioplias, reconheceu a justiça da vitória portuguesa: "Portugal tornou o jogo mais fácil depois dos dois golos que marcou e, em vantagem, conseguiu dominar o encontro, vencendo justamente", disse.

O treinador grego salientou que a sua equipa "tem grandes hipóteses" de se qualificar e sublinhou que Grécia e Portugal são as "duas equipas mais fortes do grupo, pela qualidade que já evidenciaram".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.