Portugal não foi além de um empate a duas bolas na deslocação a Sérvia, na segunda ronda da qualificação europeia rumo ao Mundial2022. A seleção lusa fez uma boa primeira parte e foi para o intervalo a vencer por 2-0, mas 'desapareceu' no segundo tempo e permitiu a reação da Sérvia que chegou ao empate. Destaque para Diogo Jota, autor dos dois golos de Portugal.

O jogo terminou com muita polémica. Cristiano Ronaldo fez o 3-2 aos 94 minutos mas o árbitro holandês Danny Makkelie considerou que o jogador sérvio cortou a bola antes de esta entrar. As imagens televisivas mostram que a bola estava totalmente dentro da baliza pelo que o golo devia ser validado. Mas sem VAR... nada há a fazer.

O empate mantém Portugal e Sérvia na liderança do Grupo A, ambos com quatro pontos. O Luxemburgo, próximo adversário de Portugal, surpreendeu e venceu a República da Irlanda por 1-0.

A noite mágica de Diogo Jota

A reação pedida e promete Dida por Portugal, após a exibição cinzenta frente ao Azerbaijão, era de esperar frente ao principal adversário luso na luta pela qualificação rumo ao Mundial2022. Com três jogos num espaço de sete dias, Fernando Santos fez seis alterações no onze que bateu os azeris por 1-0. Saíram Domingos Duarte, Nuno Mendes, Rúben Neves, João Moutinho, Pedro Neto e André Silva e entraram José Fonte, Cedric Soares, Danilo, Bruno Fernandes, Sérgio Oliveira e Diogo Jota.

Também Dragan Stojkovic, selecionador da Sérvia, faz cinco mudanças em comparação com o último jogo em que venceu a República da Irlanda por 3-2. Gajic, Mladenovic, Racic, Djuricic e Lukic ficaram no banco, Lazovic, Kostic, Milinkovic-Savic, Gudelj e Mitrovic foram promovidos ao onze.

E foi o jogador do Liverpool a assumir o protagonismo no primeiro tempo, em que Portugal tentou sempre serenar o jogo, não meter muita velocidade, tentando chegar a área adversária com paciência. Raramente Portugal explorou o contra-ataque, mesmo havendo espaço para tal.

Depois de Cristiano Ronaldo falhar o primeiro, Diogo Jota mostrou mais pontaria quando desviou de cabeça um centro com 'mel' de Bernardo Silva, aos 11 minutos. Fantástica a leitura de jogo do jogador que atua no Manchester City.

Mas Diogo Jota não ficaria por aqui, no jogo 1000 da carreira de Fernando Santos como treinador. Aos 36 minutos apareceu o 2-0, a papel químico do primeiro. Desta feita o centro da direita foi de Cédric Soares para a cabeça do avançado, que assim fez o seu quinto golo pela Seleção.

A jogar com dois avançados, a Sérvia obrigava Danilo a recuar para se juntar aos centrais em momento defensivo para ajudar José Fonte e Rúben Dias a travar Mitrovic e Vlahovic, muitos fortes pelo ar. Alias os jogadores das alas tentaram sempre servir a dupla de avançados com cruzamentos, mas os centrais lusos estiveram irrepreensíveis.

Portugal 'adormeceu', a Sérvia voltou com mais 'fome'

Ao intervalo Dragan Stojkovic mexeu com o jogo, ao lançar Nemanja Maksimovic e Radonjic nos lugares de Vlahovic e Lazovic. E o jogo mudou.

Logo no primeiro minuto da segunda parte, Radonjic deixou João Cancelo para trás e centrou para Mitrovic que se antecipou a Danilo e desviou de cabeça para o golo. Foi o 39.º holo do avançado do Newcastle pela sua seleção, ele que se tornou no melhor marcador da história da seleção da Sérvia.

O golo despertou a Sérvia para uma outra atitude, com Portugal sem saber o que fazer. Anthony Lopes negou o empate a Tadic com uma defesa fantástica aos 55 minutos. Na sequência do canto, Milinkovic-Savic falhou o empate por centímetros.

Era o anúncio do que aí vinha, até porque Portugal continua sem conseguir travar os ataques da formação dos Balcãs e já não tinha tanto a bola como no primeiro tempo.

Aos 60 minutos, em jogada de contra-ataque, vai surgir o empate. Danilo falhou a interceção, a Sérvia saiu em ataque rápido com Tadic a meter em Radonjic e este a isolar Kostic que, isolado, fez o 2-2, mesmo com a oposição de José Fonte.

Fernando Santos tardava em reagir no banco, a Sérvia continuava a 'carregar no acelerador'. Rúben Dias impediu Maksimovic de fazer a reviravolta aos 64, aos 65 é Anthony Lopes a negar o golo a Radonjic com uma defesa fantástica. A Sérvia subia sempre pela direita, esquerda da defesa de Portugal.

Só aos 72 minutos Fernando Santos mandou um sinal do banco, com as entradas de Renato Sanches e Nuno Mendes, nos lugares de João Cancelo e Sérgio Oliveira. Na parte final do jogo foi Diogo Jota a dar o seu lugar a João Félix.

Minutos finais intensos e... golo não validado a Portugal

Os derradeiros minutos foram intensos. Milenkovic foi expulso aos 92 minutos, após entrada muito feita sobre Danilo.

E aos 94, Cristiano Ronaldo aproveitou uma bola longa de Nuno Mendes e uma saída em falso do guarda-redes Dmitrovic para atirar para a baliza. Ristic correu e cortou a bola mas esta já tinha ultrapassado a linha de golo. O árbitro assim não entendeu, para desespero de Cristiano Ronaldo. O capitão da Seleção Nacional estava muito insatisfeito, protestou com o árbitro auxiliar e viu amarelo. Na sequência, atirou a braçadeira de capitão para o chão.

Na próxima terça-feira Portugal fecha este ciclo de três jogos com uma deslocação ao Luxemburgo, seleção que hoje venceu a República da Irlanda por 1-0.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.