Depois de nas quatro edições sob a égide da Federação Internacional de Futebol (FIFA) ter sido segundo em 2005, terceiro em 2006, quarto em 2007 e novamente terceiro em 2008, Portugal quer fazer ainda melhor.

"O objectivo, naturalmente, é chegar à final. E, como as finais não se disputam, as finais ganham-se, será com esse espírito que lá estaremos", afirmou à Agência Lusa o seleccionador nacional, Zé Miguel.

O técnico garantiu que a equipa está forte e acredita numa boa prestação, mas anteviu um Mundial "muito competitivo e muito equilibrado", com "seis ou sete equipas de grande nível".

Madjer, eleito melhor jogador da prova em 2005 e 2006 e melhor marcador nos mesmos anos e em 2008, assume que o objectivo da equipa é mesmo o título: "Pomos a fasquia lá em cima e vamos para o Mundial para sermos campeões do Mundo".

Se Portugal procura o primeiro ceptro na “era” FIFA, na praia de Jumeirah, o Brasil vai, por seu lado, lutar pelo quarto título consecutivo, numa competição que, no total, conta já com 15 edições.

Esta será a segunda vez que a prova se realiza fora do Brasil, depois de a cidade francesa de Marselha ter acolhido a competição em 2008.

Numa competição com 16 formações, a selecção lusa está integrada no Grupo A e estreia-se a 16 de Novembro frente aos Emirados Árabes Unidos, defrontando a 17 o Uruguai e no dia seguinte as Ilhas Salomão.

Os jogos dos quartos-de-final, disputados pelos dois primeiros classificados de cada grupo, estão agendados para 20 de Novembro.

As meias-finais, fase na qual Portugal poderá cruzar-se como o Brasil, e a final disputam-se a 21 e 22 de Novembro, respectivamente.

A competição vai contar com a participação do árbitro português João Carlos Almeida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.