Finalmente Portugal vê o seu nome ocupar o primeiro lugar do Grupo H da fase de qualificação para o Euro 2012. A vitória desta noite frente à Noruega, por 1-0, foi tangencial mas bastou para cumprir a missão que Paulo Bento havia estabelecido: "saltar" para primeiro do grupo e embalar em definitivo para o Europeu que em 2012 se realiza na Polónia e na Ucrânia.

Contudo, a noite não foi de descanso para a equipa das quinas. A primeira parte não correu de feição a Portugal. Se é certo que a equipa orientada por Paulo Bento entrou cheia de "ganas" de fazer o primeiro, também não é menos verdade que nem sempre tal objectivo foi perseguido da melhor forma.

Depois de uns primeiros minutos mais complicados, a Noruega reagrupou a sua defesa e enredou Portugal numa teia bem montada e que obrigou mesmo o seleccionador nacional a puxar Ronaldo para o lado de Postiga, entregando o lado esquerdo do ataque a João Moutinho.

Meireles, Ronaldo e Moutinho dispuseram das melhores ocasiões portuguesas - sempre com remates de fora de área - mas foi a Noruega quem esteve mais perto do golo no primeiro tempo: na primeira ocasião, Helge Riise permitiu defesa atenta a Eduardo, e a meio da primeira parte só a má pontaria de Pedersen impediu Portugal de maiores dissabores.

Até ao final dos primeiros 45 minutos coube a Cristiano Ronaldo a melhor ocasião, mas o cabeceamento do goleador português saiu direitinho para as mãos de Jarstein, o guarda-redes norueguês.

Era preciso mais Portugal para uma vitória essencial para a turma das quinas e Nani deu o mote logo a abrir a segunda parte, com um remate de pé esquerdo que passou a rasar o poste direito da baliza norueguesa.

Desaparecido do jogo até então, Hélder Postiga viu o jogador do Manchester United mostrar como se fazia e não desaproveitou a bola de bandeja que este lhe ofereceu no centro da grande área norueguesa quando o relógio marcava 52 minutos. Postiga adiantou-se ao central norueguês, meteu o pé à bola e bateu Jarstein para o 1-0.

Sem grande novidade, Portugal continuou a dispor de maior posse de bola e a marcar os ritmos de jogo, mas não foi o suficiente alcançar o segundo golo.

Nesta fase, os remates de fora de área de Carlos Martins foram os lances de maior perigo e saltou à vista a exibição cinzenta de Cristiano Ronaldo. O jogador do Real Madrid teve em Espanha uma época de sonho, mas teima em não trazer para a selecção a mesma pontaria afinada, também para seu desespero, como foi possível aos 47 mil que hoje estiveram na Luz ver.

No relvado da Luz ficou ainda por marcar uma grande penalidade sobre Nani e, deste modo, o 1-0 acabou mesmo por manter-se.

O futebol parte agora de férias e Portugal, com espírito de missão cumprida, lidera o grupo H, com dez pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.