“Quando há problemas com um seleccionador, isso é uma vergonha para o futebol português. Se não querem o seleccionador, que façam as contas e que o mandem embora. Deixem-se de polémicas”, alertou Álvaro Magalhães, em declarações à Agência Lusa.

O treinador considerou “anormal” a presença de apenas nove mil pessoas nas bancadas no estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, no encontro de sexta feira com o Chipre (4-4), e explicou que o processo ao seleccionador condicionou o comportamento dos atletas.

“Portugal até nem jogou mal: marcar quatro golos e empatar não é muito normal, mas o que é certo é que aconteceram muitos erros defensivos. Mas a equipa tem de se deixar de individualismos. O problema da selecção é não ter um conjunto formado, uma base sólida”, disse.

O treinador falou ainda na existência de um afastamento entre o público e a selecção portuguesa: “A obrigação agora é unirem-se e tentarem recuperar na Noruega. Mesmo que digam que não, os jogadores sentem estes problemas em torno do seleccionador. Estes problemas não ajudam nada e isso sentiu-se no jogo”.

“Na minha perspectiva, o ambiente está fragilizado à volta do Carlos Queiroz. O melhor é mudarem de seleccionador. Ele próprio se deve sentir mal. Isto é mau para o futebol português”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.