O futebolista da Juventus Daniele Rugani, o primeiro da liga italiana a ser infetado com o novo coronavírus, assegurou hoje estar "bem" e esperançado de que a sua situação tenha servido para sensibilizar para a pandemia de Covid-19.

"Sinto-me bem e quero tranquilizar toda a gente. Não tive os sintomas mais graves que têm sido anunciados, portanto tenho de me considerar um sortudo", disse o defesa, em declarações à Juventus TV.

Rugani, colega do internacional português Cristiano Ronaldo na Juventus, foi diagnosticado com a Covid-19 na passada quarta-feira, sendo que, desde então, tem estado em quarentena na unidade hoteleira do clube de Turim.

"Foi um enorme choque, porque fui o primeiro do nosso grupo. Espero que tenha servido para consciencializar as pessoas, sobretudo quem ainda não tinha percebido a gravidade deste problema", observou o central, de 25 anos.

A Itália é, depois da China, o segundo país mais afetado pela pandemia de Covid-19, tendo registado, até ao momento, 24.747 casos e 1.809 mortos.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou cerca de 170 mil pessoas, das quais 6.500 morreram. Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 140 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, 331 pessoas foram infetadas até hoje, mas sem registo de mortes, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.