No centro do diferendo está a proposta dos presidentes dos clubes em limitarem os direitos dos jogadores em recusarem transferências, como recentemente foi o caso do defesa Fábio Grosso da Juventus ao recusar uma oferta do AC Milan.

A proposta dos clubes estipula que quando um jogador tem ainda um ano de contrato com uma equipa deve aceitar a transferência para outro, igualmente competitivo, que garanta ao jogador o mesmo tratamento financeiro e estatuto.

Caso o jogador não aceite a transferência, deve encontrar uma solução de mútuo acordo com o clube.

A greve foi anunciada com uma declaração lida pelo defesa do AC Milan Massimo Oddo, e assinada pelos “capitães” e os representantes de todos os 20 clubes da Série A.

“A Associação, em perfeita sintonia com os jogadores da Serie A, decidiu que os atletas não entrem em campo na quinta jornada do campeonato, nos dias 25 e 26 de Setembro”, revelou Massimo Oddo em conferência de imprensa.

A principal pretensão dos jogadores da Serie A é a definição dos direitos dos futebolistas que se encontram no último ano de contrato e pugnar por um novo contrato colectivo de trabalho, uma vez que o anterior expirou a 30 de Junho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.