Roger Schmidt analisou em conferência de imprensa a Supertaça frente ao FC Porto por 2-0.

Significado do título: "É um troféu que vai ficar para sempre e foi isso que disse aos jogadores antes do jogo, que no final das suas carreiras vão olhar para os troféus que ganharam. A Supertaça não é o troféu mais importante, mas foi contra uma equipa forte e é daí o valor acrescido da conquista"

Análise: "Tivemos problemas em encontrar soluções na primeira parte, mas os jogadores procuraram minimizar esse fator, depois dos 30 minutos equilibrámos e após o intervalo mudámos tudo e fomos superiores. Aproveitámos as oportunidades que tivemos e estou muito orgulhoso dos jogadores. Vencer é um bom sinal, estamos contentes e agora é preparar o campeonato".

Alterações: "Foi a minha decisão para hoje. Tentámos fazer isso na época passada com o Aursnes a fazer de avançado, hoje também tentámos fazer isso para encontrar espaços, mas foi difícil. Depois coloquei Musa para podermos jogar com bolas longas, mais físico. A outra substituição foi porque o Mihailo já tinha um amarelo e quis evitar qualquer risco e meti o Jurásek. Mais importante foi a forma como a equipa jogou, a intensidade, a alegria. E fomos capazes de fazer os dois golos."

Estreia de Jurásek: "Não é fácil entrar num jogo como este. Esteve bem a defender, teve alguns momentos a atacar. Nunca é fácil num clube como o Benfica. Há muita expectativa. Já começou a perceber o que é o Benfica. O David Neres não pôde estar hoje e esperamos tê-lo na segunda-feira."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.