O Sporting, detentor do troféu, arrancou hoje a fase de grupos da Taça da Liga de futebol com uma derrota na receção ao Rio Ave por 2-1, em jogo da primeira jornada do grupo C da prova.

Em relação à equipa inicial do último jogo do Sporting, frente ao Famlicão, Leonel Pontes fez algumas alterações. O destaque vai para a estreia de Maximiano a titular, para a saída de Renan. De resto, entraram Luís Neto, Ilori, Borja, Bruno Fernandes e Jesé e saíram Renan Ribeiro, Coates, Mathieu, Doumbia, Miguel Luís e Bolasie.

O jogo

O Sporting manteve o 4x4x2 em losango no sistema tático, como tem sido hábito com Leonel Pontes. Já do lado do Rio Ave, Carvalhal apostou numa linha de três defesas, com dois jogadores na frente de ataque.

O Sporting entrou com bastante qualidade, a ganhar profundidade no lado direito e a chegar com alguma facilidade ao último terço do terrero vila-condense.

Em apenas dez minutos, os leões levaram perigo à baliza adversário por três vezes e deram esperança aos adeptos sportinguistas nas bancadas, que acreditavam que o Sporting iria sair vitorioso desde encontro.

Depois de dez minutos iniciais com facilidade a chegar à baliza de Paulo Vítor, o Sporting perdeu ritmo de jogo ao mesmo tempo que o Rio Ave controlava a posse de bola e conseguia assim afastar o perigo da sua baliza.

De seguida surgiu o golo vila-condense, graças a erros defensivos da equipa de Leonel Pontes, que permitiu a Ronan passar por toda a área sem que alguém o conseguisse 'parar'. O jogador do Rio Ave não hesitou e fez o primeiro golo do jogo.

Pouco depois, o Sporting deu a resposta e marcou por Bruno Fernandes na sequência de um livre, que bateu na barreira adversária e 'tramou' Paulo Vítor.

A primeira parte mostrou mais daquilo que tem sido o Sporting nos últimos jogos. Depois de um início de jogo positivo e com várias oportunidades, os leões acabaram por baixar consideravelmente o ritmo de jogo e cometer erros defensivos, como o que deu origem ao golo de Ronan.

Aos 67 minutos, Carlos Carvalhal fez duas alterações na equipa: entraram Carlos Mané e Bruno Moreira para os lugares de Diogo Figueiras e Ronan. Duas mudanças que mostraram a intenção vila-condense não de se contentar com o empate mas sim de procurar o segundo golo - que eventualmente chegou.

Aos 83 minutos, e depois de várias paragens, Bruno Moreira meteu a bola em Mané no segundo poste, este amorteceu de cabeça para a entrada de Gabrielzinho, mas Maximiano acabou por afastar. A bola sobrou para Piazon que, à entrada da área, atirou para o fundo das redes. Mais um erro defensivo do Sporting na origem do golo.

Nos minutos finais, o Sporting ainda tentou chegar ao empate, mas sem sucesso. Paralelamente, nas bancadas, vivia-se um ambiente intenso, com vários desacatos nomeadamente entre as claques leoninas.

O Rio Ave fez assim história ao impôr a terceira derrota consecutiva do Sporting em casa, algo que nunca tinha acontecido em 90 anos, mas que traduz fielmente o momento negativo que se vive em Alvalade, onde os adeptos pedem a demissão de Frederico Varandas.

Finda a primeira jornada do grupo C, Rio Ave e Portimonense, que venceu na quarta-feira em casa do Gil vicente também por 2-1, lideram com três pontos, enquanto Sporting e gilistas não têm pontos.

Polémicas

Não faltaram casos de análise nesta categoria nos 90 minutos de jogo desta quinta-feira, mas aquele que mais deu que falar aconteceu aos 73 minutos de jogo. Depois de Paulo Vítor atirar a bola para fora para ser assistido pela equipa médica do Rio Ave, o Sporting recusou-se a devolver a bola e gerou uma enorme confusão entre os jogadores das duas equipas. Estava instalado o caos no relvado de Alvalade, que acabaria com Bruno Fernandes e Filipe Augusto a receberem amarelo.

Os melhores

Como já tem habituado os sportinguistas, Bruno Fernandes deu tudo pela equipa. Marcou o único golo do Sporting, tentou marcar mais e levou mais uma vez a equipa às costas, mas desta vez com uma pequena ajuda: Vietto. Tal como o capitão, o argentino tentou (várias vezes) marcar, ou dar a marcar, mas nenhuma das situações se concretizou. Leva pontos pela intenção.

Do outro lado da barricada esteve Piazon. O avançado brasileiro foi a figura dos vila-condenses na segunda parte do encontro e acabou mesmo por marcar o golo que deu a vitória à equipa de Carlos Carvalhal. Mas, o Rio Ave não teria levado a melhor se não fosse Paulo Vítor. O guarda-redes de 30 anos negou dois golos ao Sporting e mostrou muita qualidade.

Os piores

Além do momento negativo que se viveu dentro de campo, também o ambiente fora de campo deu que falar. Nas bancadas do Estádio de Alvalade gerou-se uma enorme confusão, que acabaria por espelhar-se também nos jogadores leoninos. Fora o caos das bancadas, dentro de campo foi Wendel quem pior esteve. Vinha de um bom momento no clube, mas rapidamente passou a acumular erros atrás de erros, um deles resultou num golo do Rio Ave.

Reações

Leonel Pontes: "O meu futuro não é discutido aqui na praça pública"

Carlos Carvalhal: "Não viemos jogar ao chutão para a frente"

Luís Neto: “Acho que é um resultado típico da fase que estamos a passar"

Tarantini: "Ambicionamos estar na final-four"

Resumo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.