O SC Braga voltou a bater o Benfica, desta vez num jogo a eliminar. Os arsenalistas somaram a terceira vitória consecutiva frente às águias, algo que nunca tinha alcançado na sua centenária história e garantiram a presença na final da Taça da Liga, marcada para o próximo sábado frente ao Sporting. Contra um Benfica desfalcado pela COVID-19, mas que foi à luta, os bracarenses foram eficazes e, graças aos golos de Abel Ruiz e Tormena, ficam em Leiria até ao fim de semana.

O Jogo: COVID obriga a mudanças nas águias, bracarenses na máxima força

Com um surto de COVID-19 no Benfica, Jorge Jesus foi obrigado a várias alterações na sua equipa para o duelo da noite passada. O técnico teve de reconstruir a defesa lançando João Ferreira, Jardel, Todibo e Cervi na última linha encarnada. Taarabt e Helton Leite foram as restantes alterações nas águias. Já do outro lado, Carlos Carvalhal apresentou uma equipa na máxima força, deixando Paulinho no banco, mantendo a aposta em Abel Ruiz no ataque.

Em busca da vitória que garantisse a presença na final da Taça da Liga, prova da qual é o atual detentor, o SC Braga entrou pressionante e esteve perto de marcar logo ao primeiro minuto, não fosse Helton Leite aparecer para mostrar serviço.

O Benfica, com muitas alterações, ia-se mostrando bem, respondendo a espaços aos bracarenses, com Cervi e Weigl a serem as unidades de destaque nos encarnados. Darwin, aos três minutos, criou a primeira oportunidade para o Benfica, mas o esférico acabou por ir à malha lateral.

Mais perigo só voltou a surgir aos 23 minutos e do outro lado do Estádio Dr. Magalhães Pessoa, palco da partida. Abel Ruiz armou o remate já no interior da área, mas a defesa encarnada impediu males maiores e na recarga o espanhol viu Helton Leite a segurar sem grandes problemas. Mas o avançado do Braga acabaria mesmo por assinar o seu quinto golo na época quando, aos 28 minutos, aproveitou um passe elevado de Ricardo Horta para desviar a bola para o fundo da baliza.

O Benfica tentou responder e começou a crescer na partida, chegando em mais ocasiões ao último terço e com mais perigo. Depois de Darwin, aos 42’, atirar ao poste e na recarga, nenhuma das águias ter conseguido achar o caminho para a baliza, os encarnados acabariam por chegar ao empate já no final da primeira parte. Falta de David Carmo sobre Darwin no interior da grande área e penálti para os encarnados. Pizzi, chamado a converter, não desperdiçou e retomou a igualdade no marcador antes do intervalo.

No regresso dos balneários, o Benfica ficou perto de ficar em vantagem quando Pizzi, de fora de área e após passe de Darwin obrigou Matheus a uma grande intervenção para evitar o golo dos encarnados. Mas acabou mesmo por ser o SC Braga a recolocar-se em vantagem.

Depois de um primeiro aviso, com os arsenalistas a enviarem uma bola à barra, Tormena, após cruzamento de Ricardo Horta, que deixou a sua marca nos dois golos, saltou nas costas de Todibo e cabeceou para o fundo da baliza dos encarnados aos 59 minutos.

Os bracarenses continuavam por cima e chegaram mesmo a fazer o terceiro, com Fransérgio a fugir de Jardel e a atirar para aquele que seria o terceiro golo do SC Braga, não fosse a sua posição irregular que acabou por anular o tento.

Jorge Jesus mexeu na equipa e esgotou quatro substituições em seis minutos, com as entradas de Everton, Ferro, Pedrinho (70’) e Chiquinho (76’) para os lugares de Seferovic, Todibo, Rafa e Taarabt para dar outra energia à equipa na busca pelo empate algo que acabou por não acontecer, com o Benfica a não conseguir criar uma verdadeira oportunidade de perigo até ao final do jogo.

Do outro lado, o SC Braga ainda viu o 3-1 muito próximo de acontecer quando Paulinho, ao aproveitar um erro de Ferro, viu o seu remate desviar no guardião encarnado e acabar na malha lateral.

Em 100 anos de história, celebrados esta semana, nunca o SC Braga tinha tido uma série de jogos tão positiva contra o Benfica: duas vitórias na Luz (fevereiro e novembro de 2020, I Liga) e uma vitória em terreno neutro. A inédita terceira vitória seguida dos arsenalistas significa que o SC Braga tem agora a oportunidade de reconquistar o título conquistado na última época, desta vez ao defrontar o Sporting na final do próximo sábado.

O momento: Minuto 59 - golo de Tormena

O melhor: Ricardo Horta

Esteve envolvido nos dois golos do SC Braga, com as assistências para os cabeceamentos certeiros de Ruiz e Tormena. E podia ter assistido para o terceiro, com o passe para Fransérgio que acabou a rematar para o fundo da baliza, mas que foi invalidado por 61 cm.

O pior: Taarabt

Já não é a primeira vez que o marroquino deixa a desejar e continua a complicar lances que parecem simples. Depois do seu ‘renascimento’, o marroquino não está a viver o seu melhor momento.

Reações

Jorge Jesus: "Tem sido complicado estares na tua família, separados uns dos outros"

Pizzi: "Agora é olhar em frente e pensar no que aí vem"

Carlos Carvalhal: "Creio que fomos justos vencedores, ganhamos bem"

Tormena: "Vamos dar o máximo para defender este título"

Resumo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.