O FC Porto não foi além de empate a uma bola com o Feirense, em jogo da 2.ª jornada da Taça da Liga. É o segundo empate dos azuis-e-brancos que estão obrigados a vencer o Moreirense na derradeira jornada e esperar que Belenenses não faça o mesmo com o Feirense. Caso contrário, tudo será decidido na contagem entre golos marcados e sofridos. Os golos foram marcados por dois centrais: Marcano para o FC Porto e Flávio Ramos para o Feirense.

As duas equipas vinham de resultados diferentes na primeira ronda: os ´dragões` empataram em casa com o Belenenses a zero bolas, os de Santa Maria da Feira tinham perdido em casa com o Moreirense por 2-1. Nuno aproveitou para mexer em todos os sectores do FC Porto, lançando José Sá para a baliza, Boly para o centro da defesa, Ruben Neves, Herrera e João Carlos Teixeira para o meio e Depoitre na frente, num 4-3-3 que tinha Brahimi e Corona nas alas.

O Estádio do Dragão registou a melhor assistência em jogos da Taça da Liga e esteve perto de gritar golo logo aos cinco minutos. Brahimi combinou com Depoitre, rematou em arco. Vaná estava batido mas a barra negou o golo ao argelino.

Num jogo de sentido único, a formação de Nuno Espírito Santo voltou a estar perto do golo aos 16 minutos. Alex Telles centrou para a pequena área mas o guarda-redes Vaná antecipou-se a Depoitre e evitou males maiores para a sua baliza. O guarda-redes do Feirense era o melhor em campo e ia evitando o golo do FC Porto com grandes-defesa. Aos 26, 29 e 45 negou o golo a João Carlos Teixeira, Herrera e Rúben Neves, respetivamente.

Do lado do FC Porto era Brahimi quem tentava puxar mais pela equipa. O argelino está num excelente momento de forma mas não teve acompanhamento devido de Corona no outro lado. A nível ofensivo o Feirense era uma nulidade. Os homens de Nuno Manta Santos não conseguiam ligar o seu jogo e apenas nos lances de bola parada tentava criar perigo. No final do primeiro tempo, o FC Porto pediu penálti por derrube de Flávio Ramos a Herrera na área mas o árbitro mandou seguir, o que gerou muitos protestos dos jogaadores azuis-e-brancos.

O segundo tempo arranca com o golo do FC Porto. Aos 50 minutos e após um canto que o Feirense afastou para fora da área, Herrera centrou com qualidade para Marcano fazer o 1-0 de cabeça. Um golo há muito anunciado tal era o volume ofensivo dos azuis-e-brancos. O 2-0 podia ter chegado aos 69 minutos mas Depoitre cabeceou para fora, após bom passe de Brahimi. No entanto o lance seria anulado já que o árbitro assinalou, mal, um fora-de-jogo que não existiu no lance.

O Feirense, sempre de bola parada, ia tentando o empate. Viu José Sá negar o golo aos 64 minutos a Platini mas a bola haveria de entrar na baliza aos 74 minutos. Após livre para a área, o central Flávio Ramos a saltar mais alto que Marcano e a fazer o empate. Balde de água fria no Dragão, com 41305 espetadores incrédulos com o resultado.

Nuno teve de arriscar mais, lançando Óliver e Rui Pedro para os lugares de Herrera e João Carlos Teixeira mas sem sucesso. Viria a ser o Feirense a ter a grande oportunidade, num livre de Etebo que José Sá defendeu com a ponta dos dedos, naquela que foi a defesa da noite.

O FC Porto continua sem vencer nesta prova, em dois jogos realizados em casa. Precisa de vencer o Moreirense no derradeiro jogo e esperar que o Belenenses não faça o mesmo para passar para a ´final four`. Se os dois clubes vencerem, tudo irá ser decidido na diferença entre golos marcados e sofridos. Nesta altura o Belenenses tem três marcados e três sofridos, o FC Porto um marcado e um sofrido.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.