“Por vezes quando não se joga bem tenta-se disfarçar com o resultado. Não gostei da nossa equipa”, admitiu Rui Vitória, técnico pacense, para quem o resultado foi melhor do que a exibição.

No entanto, Rui Vitória acredita que nada está perdido e que no jogo da segunda mão, marcado para 10 de Novembro, na Mata Real, tudo pode acontecer.

“Saberíamos que ia ser um jogo difícil e que a eliminatória não se decidiria hoje. Agora temos de olhar para o que não correu bem”, disse o treinador do Paços.

Tal como Rui Vitória, também o técnico Augusto Inácio reconheceu a superioridade do Leixões: “Parece-me que, pelo que fizemos, o resultado foi extremamente injusto”.

“Tivemos um excelente comportamento. Não se notou que uma das equipas era da Liga de Honra e outra do escalão principal”, referiu o técnico.

Inácio apontou o Paços de Ferreira como favorito para passar à terceira eliminatória da Taça da Liga, uma vez que vai jogar em casa. “É sempre uma vantagem”, concluiu o treinador leixonense.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.