O avançado brasileiro, que há dois jogos não faz parte dos convocados, foi chamado a atenção durante a palestra de quarta-feira pelo técnico Paulo Sérgio, "insatisfeito" com o seu "empenho e aplicação no trabalho de grupo no últimos tempos", mas William reagiu mal e já nem treinou.

William acabaria por se desculpar depois junto da Direcção do clube, com quem se terá comprometido a melhorar o comportamento, e hoje mesmo começou a realizar trabalho individual, no sentido de "recuperar o tempo perdido".

"[O William] É um jogador do plantel, sabemos do que é capaz, mas tem de o provar todos os dias. Para o bem da sua carreira, espero que cumpra o que prometeu. Não podemos andar agarrados ao passado", disse Paulo Sérgio.

O técnico da formação nortenha lembrou que "há um conjunto de regras pré-definidas para quem quer viver em grupo e ninguém está isento de as cumprir", garantindo que "o castigo terá de ser a Direcção a aplicar".

"Tem havido outros casos [Cristiano e Ciel, nomeadamente], que temos tentado resolver internamente. Não são situações agradáveis, mas, apesar de tudo, considero que tenho um grupo de gente boa, que, às vezes, também comete erros. Só não podemos pactuar com a repetição desses erros", sublinhou.

Paulo Sérgio é claro: "Não sou homem de rancores e não meto uma cruz em ninguém. A minha carreira faz-se com o que os meus grupos conseguem, pelo que o próprio William poderá ser chamado no sábado para o jogo com o Estoril".

O desafio marca a estreia da equipa na Taça da Liga 2009/2010 e o adversário merece "todo o respeito", disse Paulo Sérgio, para quem " todos os cuidados são poucos" perante "uma equipa com um índice técnico elevado" e "um treinador (professor Neca) que conhece sobejamente o futebol português".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.