O Portimonense venceu esta noite o Sporting, por 2-0, em jogo da segunda jornada da Taça da Liga, num jogo intenso e bem disputado.

O Sporting apresentou-se esta noite em Portimão com muitas novidades no onze inicial em relação às habituais apostas na Liga, com especial destaque para a estreia do reforço holandês Zeegelaar e para o regresso do colombiano Téo Gutierrez depois de uma longa ausência. No entanto, desta feita o Sporting não reagiu bem à rotatividade e fez uma exibição pálida diante do Portimonense.
Porém, nem tudo foram falhas dos leões. De facto, o Portimonense teve muito mérito na réplica diante do Sporting e nunca virou a cara à luta na esperança de ser feliz. Depois de uma estreia vitoriosa no grupo, os algarvios comandados pelo técnico José Augusto mostraram que não foi obra do acaso e que estavam em campo esta noite para discutir o resultado com o outro líder do grupo.
Assim, os algarvios foram mesmo os primeiros a ameaçar a baliza do Sporting, com Ewerton e Marcelo Boeck a atrapalharem-se na sequência de um cabeceamento difícil de Fabrício. A defesa dos leões dava assim o primeiro sinal de intranquilidade.
A formação de Jorge Jesus respondeu, mas sempre com um futebol lento e demasiado previsível, acusando em demasia as ausências de Adrien e João Mário na dinâmica do seu meio-campo e de Slimani na agressividade no ataque. Por sua vez, entre os algarvios destacavam-se as exibições de Fabrício e Fidelis.
Depois de um período de equilíbrio, o Portimonense adiantou-se mesmo no marcador aos 36 minutos, por intermédio de Ewerton. A equipa algarvia aproveitou um buraco na defesa dos leões e o médio brasileiro surgiu isolado perante Marcelo Boeck, que também não conseguiu evitar o golo. Estava assim feito o 1-0 já perto do apito para o intervalo.
Para a segunda parte Jorge Jesus deixou Mané de fora e lançou o jovem Matheus Pereira na esperança de imprimir mais velocidade à equipa. A reação foi quase imediata e o Sporting lançou um assalto à baliza em busca do empate.
Aos 53’, Jadson quase fez autogolo, quatro minutos depois foi a vez de Lumor pregar um susto ao guardião Carlos Henrique, e aos 58 a bola entrou mesmo na baliza algarvia. Depois de um primeiro cabeceamento à trave, Aquilani desvia à boca da baliza um novo remate de Montero, mas o árbitro Manuel Oliveira assinalou fora de jogo ao italiano. Mais alguns minutos depois e Bruno César atirou novamente ao poste.
Pressentia-se o golo leonino, naquela que era a fase mais difícil do encontro para os algarvios. O sofrimento foi então a palavra de ordem entre os anfitriões, que viram entrar mais armas de peso no Sporting, com João Mário e Tanaka. O Portimonense encarregou-se então de resistir, sem nunca perder de vista o contra-ataque.
No entanto, a melhor ocasião para o empate do Sporting surgiu aos 79’, com uma grande penalidade após mão de Lumor na área. Chamado à conversão, William Carvalho atirou para a defesa de Carlos Henriques, que assim segurou a vantagem algarvia. O público galvanizou-se nas bancadas e viu a resistência da equipa ser mesmo premiada já em tempo de descontos com o segundo golo, novamente por Ewerton, na sequência de uma grande penalidade, após falta de Marcelo Boeck.
Com este triunfo, o Portimonense coloca um pé nas meias-finais da Taça da Liga e deixa o Sporting em grandes dificuldades para seguir em frente na prova.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.