O guarda-redes Elisson, do Nacional, afirmou esta terça-feira que o jogo com o Paços de Ferreira, na quinta feira, das meias-finais da Taça da Liga em futebol, é de grande importância, tendo em conta que está em causa uma presença inédita na final.

O habitual suplente de Rafael Bracali recusa também que o jogo possa constituir uma vingança, face aos resultados positivos conseguidos pelos pacenses no Estádio da Madeira nos últimos anos.

«Cada jogo é um jogo e o que se passou ficou para trás. Não há espírito de vingança da nossa parte, pois só queremos vencer um jogo que é de extrema importância para o Nacional», adiantou o jogador, sublinhando que a vitória conduz a «um feito inédito para o clube e também para a carreira dos jogadores».

Numa apreciação ao actual momento das duas equipas, Elisson não tem dúvidas de que haverá um bom espectáculo no Estádio da Madeira.

«Tanto o Nacional como o Paços de Ferreira estão a atravessar bons momentos, por isso acredito que será um bom jogo para os adeptos, com a nossa equipa focada no objectivo que tem de chegar à final da Taça da Liga», considera.

«Seria uma grande desilusão se perdêssemos. Estamos um pouco ansiosos, porque queremos dar uma grande alegria aos nossos adeptos, porque este jogo poderá ser um prémio para eles, para o clube e também para nós jogadores», afirmou a concluir.

O Nacional defronta o Paços de Ferreira a partir das 20h15 de quinta-feira, no Estádio da Madeira, em jogo relativo às meias-finais da Taça da Liga em futebol, que será arbitrado pelo portuense Artur Soares Dias.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.