O Sporting venceu o Arouca por 2-1 esta terça-feira em partida relativa à primeira meia-final da Taça da Liga. Dois golos de Paulinho, um na primeira, outro na segunda parte, deram a vitória aos leões que assim seguem para a final da Taça da Liga no próximo sábado.

Para além das já esperadas ausências de Francisco Trincão e Luís Neto, e da titularidade de Jermiah St.Juste, o treinador Rúben Amorim surpreendeu ao deixar Pedro Porro no banco, lançando para o seu lugar Ricardo Esgaio.

Já Armando Evangelista mudou quase metade da equipa em relação ao desafio para o campeonato diante do Portimonense. De Arruabarrena, Mateus Quaresma, Galovic, Arsénio e Soro deram os seus lugares a Thiago, Weverson Opoku, David Simão e Uri Busquets.

Entrada forte do leão mas emoção só nos descontos

O Sporting entrou mais forte na partida e ameaçou diversas vezes a baliza arouquense nos primeiros minutos. A primeira situação de perigo surgiu aos quatro minutos quando Paulinho se escapou pela esquerda e cruzou sem que Pedro Gonçalves conseguisse chegar para a emenda, pouco depois foi Nuno Santos com um cruzamento na esquerda já dentro da área a assustar a defensiva arouquense.

Não se esgotariam os primeiros dez minutos sem que o leão voltasse a assustar; Marcus Edwards tirou praticamente toda a gente do caminho e serviu Nuno Santos que tentou colocar na área mas nem Paulinho, nem Pedro Gonçalves tiveram engenho para finalizar.

O Arouca começou a partida mais retraído, defendendo à entrada do seu meio-campo e procurando o erro do adversário para explorar a velocidade de Oday. Armando Evangelista foi forçado a mexer na defesa à passagem do minuto 19 quando Quaresma entrou para o lugar de Weverson.

Os minutos passavam e a toada do jogo não se alterava, o Sporting mandava e continuava a ameaçar a baliza de Thiago, perante um Arouca incapaz de se libertar da forte pressão imposta pelo adversário ainda na sua zona ofensiva.

Depois de uns primeiros 45 minutos de sentido único, as emoções ficaram guardadas para o tempo de compensação da primeira parte. Aos 46 minutos o Arouca finalmente conseguiu sair em velocidade para o ataque após lance na sua área e Anthony apareceu descaído na esquerda para fazer um chapéu a Adán e inaugurar o marcador com um grande golo.

Todavia o lance foi invalidado por Fábio Veríssimo após consultar o VAR; no início do lance o jogador do Arouca tocou a bola com a mão e o golo dos arouquenses foi transformado em livre para o Sporting. Desse livre acabou por resultar o golo dos leões; cruzamento de Nuno Santos para o segundo poste onde apareceu Pedro Gonçalves a assistir Paulinho que, no coração da área, fuzilou Thiago e fez o primeiro da partida.

Arouca reage mas Paulinho resolve

Na segunda parte, e por força da desvantagem, o Arouca entrou mais expedito, estendendo-se mais sobre o relvado e pressionando mais cedo o adversário. Agora era o Sporting a procurar os espaços nas costas da defensiva adversária perante o adiantar do Arouca. Todavia a primeira oportunidade do segundo tempo foi mesmo do Sporting com Matheus Reis a chegar a por a bola na baliza de Thiago, lance que foi anulado prontamente por fora-de-jogo.

O defesa brasileiro voltou a causar calafrios, só que desta vez na sua própria baliza, precipitando-se e deixando Oday muito perto do golo. Todavia o avançado palestiniano iria ter nova oportunidade pouco depois; 58 minutos e um belo cruzamento da esquerda de Alan Ruiz a encontrar Oday que fugiu à marcação e fez o empate. O Arouca via recompensada a mudança de atitude na segunda parte.

Após o empate o Sporting voltou a tomar as rédeas da partida e a chegar perto da área arouquense, repetindo-se de certa forma aquilo que sucedera durante a maioria dos primeiros 45 minutos. Contudo, o Arouca já não aparecia tão remetido ao seu meio-campo, pressionando mais e melhor, permitindo à formação arouquense partilhar o jogo com os leões.

Para tentar mudar o rumo da partida, Rúben Amorim fez entrar Porro e Arthur para os lugares de Morita e Ricardo Esgaio. Os leões continuavam com mais iniciativa de jogo mas sem criar grandes oportunidades.

Numa fase em que o jogo arrefecera e pairava a possibilidade do jogo ir para penaltis, o Sporting voltou a adiantar-se no marcador; 82 minutos e o cruzamento de Nuno Santos na esquerda encontra Paulinho que apenas teve de desviar para a baliza de Thiago.

Até final o Arouca tentou reagir mas as melhores oportunidades foram para os leões que ficaram mais perto de aumentar a vantagem do que sofrer o empate.

O Sporting fica agora à espera do adversário na final de sábado, que virá do embate entre FC Porto e Académico de Viseu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.