FC Porto e Braga disputam na noite desta quarta-feira um lugar na final da Taça de Portugal, naquele que é o quarto e derradeiro confronto entre Dragões e Guerreiros na época 2020/21. Depois do 1-1 na primeira-mão das meias-finais na Pedreira, os azuis e brancos chegam a este encontro em casa com uma ligeira vantagem, por terem feito um golo fora de casa, pelo que um empate a zero bolas garante um lugar na final do Jamor. Os Guerreiros terão de vencer ou empatar, no mínimo, a duas bolas.

Os anteriores três encontros foram repletos de emoções, com incertezas no resultado até ao apito final. Na primeira volta no Dragão, Castro deu vantagem aos minhotos mas, antes do intervalo, já os Dragões tinham virado o jogo, com golos de Sérgio Oliveira e Alex Telles, este de grande penalidade. O lateral brasileiro fechou as contas do encontro aos 89 minutos, na transformação de uma grande penalidade, a segunda da noite para os azuis e brancos, na 1.ª ronda da I Liga.

Já neste ano de 2021, assistimos a dois encontros emocionantes na Pedreira, com muita polémica à mistura. No primeiro, da 18.ª jornada da I Liga, o FC Porto esteve a vencer por 2-0 até aos 87 minutos mas, a jogar com menos um, permitiu o empate dos Guerreiros, com golos de Fransérgio aos 87 e Gaitán aos 94.

O segundo dos três encontros entre Dragões e Guerreiros no espaço de 27 dias também foi emotivo e ficou marcado pela lesão grave de David Carmo, num lance com Luis Díaz. Depois de Mehdi Taremi marcar aos 09 minutos, os azuis e brancos sofreram o empate por Fransérgio aos 102 minutos, quando jogavam com menos dois jogadores - Luis Díaz viu vermelho no lance com David Carmo aos 70 minutos e depois foi Uribe também a vero vermelho direto após agressão a Ricardo Esgaio aos 97 minutos.

Temos consciência que vamos jogar contra uma grande equipa, com uma organização muito forte, com selo e qualidade de ‘Champions League'

De recordar que na última temporada, as duas equipas também se encontraram nas meias-finais da Taça de Portugal, com FC Porto a qualificar-se para a final com uma vitória por 3-0 em casa e um empate a um golo na 'Pedreira'.

No lado do Braga, Moura, David Carmo, Castro, Iuri Medeiros e Rui Fonte estão lesionados e Sequeira, Raul Silva e Sporar estão em dúvida para o jogo com os portistas. Já Pepe e Sérgio Oliveira são as dúvidas nos detentores da Taça. Marcano voltou a competir, depois de muitos meses parado, e pode ser opção para Conceição.

Momento de forma: Braga já ultrapassou FC Porto na Liga

O FC Porto chega a este jogo no seu segundo pior momento da época. Nos últimos sete encontros, apenas duas vitórias, frente a Marítimo e... Juventus, na 1.ª mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, apesar de não ter perdido. A equipa de Sérgio Conceição somou cinco empates, quatro deles consecutivos: empatou na I Liga 0-0 com Belenenses SAD e Sporting, e 2-2 com Boavista e Braga, e ainda 1-1 com os minhotos na 1.ª mão da meia-final da Taça de Portugal.

Nacional-Braga
Azouni disputa a bola com Ricardo Esgaio créditos: Lusa

A luta pela revalidação do título parece uma miragem, depois de os azuis e brancos terem perdido oito pontos em tão pouco tempo, contra o Sporting que só perdeu dois (empate 0-0 com FC Porto).

Resta a luta pela Taça de Portugal e pelo segundo lugar, que dá acesso direto à fase de grupos da Liga dos Campeões. Os campeões nacionais estão a 10 pontos do Sporting na I Liga, quando faltam 13 jornadas para o fim, e, embora tenham garantido que vão lutar até ao fim, o próprio Sérgio Conceição já admitiu que será difícil vencer a prova esta época.

Aproveitou e bem o SC Braga para saltar para o segundo posto, com mais um ponto (46) que o FC Porto e a nove do Sporting (55). A nível interno, a última derrota dos minhotos data de 23 de janeiro, precisamente frente ao Sporting, na final da Taça da Liga. A equipa de Carlos Carvalhal vem de duas derrotas com a AS Roma, nos 16 avos de final da Liga Europa, numa eliminatória onde os Guerreiros lutaram mas não conseguiram bater a superioridade romana.

Na Liga portuguesa o Braga venceu seis dos últimos sete jogos disputados e só não conseguiu bater o FC Porto em casa, no já mencionado 1-1. A última derrota na Liga data foi a 16 de janeiro, quando os minhotos foram batidos pelo sensacional Paços de Ferreira por 2-0.

Histórico: FC Porto ainda com vantagem, Braga a crescer

Este será o jogo 161 entre as duas formações a nível oficial, num duelo pintado a azul e branco: 108 vitórias para o FC Porto contra 23 do SC Braga, num confronto que terminou empatado em 29 ocasiões (353 golos marcados pelo FC Porto, 134 feitos pelo SC Braga). Esse domínio acentua-se ainda mais quando o FC Porto joga em casa: 66 vitórias, cinco derrotas e oito empates (226 golos marcados e 52 sofridos).

O domínio caseiro do FC Porto é ainda mais avassalador em jogos da Taça de Portugal: 10 vitórias e uma derrota em 11 jogos, 33 golos marcados e cinco sofridos. Essa derrota foi nos quartos de final da prova em 2001/2002.

Mas nos últimos sete jogos entre estas duas formações, o SC Braga só perdeu por uma vez: foi exatamente esta época, na 1.ª jornada da primeira volta, num encontro onde o FC Porto começou a perder mas venceu por 3-1.

É difícil haver igualdade quando equipas como o SC Braga, o Benfica, o FC Porto têm competições europeias

Na época passada, nos três duelos entre SC Braga e FC Porto, os minhotos venceram todos: os dois para a I Liga e ainda a final da Taça da Liga, ganha por 1-0, numa altura em que a equipa era liderada por Rúben Amorim, atual treinador do líder Sporting.

Antes da vitória por 2-1 no Dragão, na jornada 17 da I Liga 2019/20, o SC Braga tinha estado nove jogos sem vencer o FC Porto. Nessa sequência, perdeu por seis vezes, cindo delas consecutivas, e empatou em três ocasiões.

FC Porto vs Sporting
Otávio reage ao golo falhado. créditos: JOSE COELHO/LUSA

Braga e FC Porto já se defrontaram em 20 ocasiões na Taça de Portugal, num duelo novamente dominado pelos azuis e brancos: 13 vitórias, quatro empates e apenas três triunfos dos minhotos. Estas três vitórias verificaram-se nos oitavos de final da prova na época 1957/58 (3-1 em casa, depois de ter perdido 3-0 em casa, pelo que foi eliminado); nos quartos de final em 2001/02 (2-1) e nos oitavos de final em 2012/13 (2-1). Sete desses 20 jogos foram em casa do Braga, onde os minhotos têm conseguido equilibrar: duas vitórias, três empates e duas derrotas.

O Braga só consegue equilibrar frente ao FC Porto a jogar: perdeu 39 dos 75 jogos disputados na condição de visitado, num confronto com 16 vitórias minhotas e 20 empates em jogos oficiais.

O que dizem os treinadores: elogios e críticas ao calendário

Nas conferências de imprensa de antevisão do jogo, os dois técnicos desfizeram-se em elogios ao adversário. Carlos Carvalhal, treinador do SC Braga, lembrou que o FC Porto é uma equipa de Champions, com muita experiência.

"Temos consciência que vamos jogar contra uma grande equipa, com uma organização muito forte, com selo e qualidade de ‘Champions League', com um grande treinador, muito difícil de ser batida, e a jogar no seu terreno […] O trabalho é hercúleo, mas a ambição é proporcional a essa dificuldade e temos a esperança e a expectativa de chegar à final", disse o técnico.

O treinador revelou ainda que "um dos grandes desafios do Sporting de Braga é tentar colocar o máximo de jogadores nas seleções principais dos seus países".

"Conseguimos colocar o Paulinho e o Sequeira, e temos outros jogadores de elevada competência. Nas paragens para as seleções, se conseguirmos meter 50% dos jogadores que normalmente o Benfica, o Sporting e o FC Porto têm nas respetivas seleções, aí podemos dizer que estamos a subir de patamar e mais perto dessas equipas", disse.

Sérgio Conceição falou da intensidade e do elevado número de jogos das duas formações, em comparação, por exemplo, com o Sporting, que foi afastado da UEFA logo no primeiro jogo e foi eliminado da Taça de Portugal nos oitavos de final.

"Somos das equipas com mais jogos, estamos a falar inicialmente de uma fase de grupos da Liga dos Campeões, não só pelas viagens, mas pelo nível e grau de dificuldade que encontramos. São jogos que requerem muita concentração, muito foco. […] Temos uma densidade competitiva incrível, mas nunca me queixei de um resultado que fosse por isso, nunca. É difícil haver igualdade quando equipas como o SC Braga, o Benfica, o FC Porto têm competições europeias […] É impossível haver igualdade, nós jogamos com o SC Braga [esta quarta-feira, porque tiveram Liga Europa. No sábado, temos o Gil Vicente e terça vamos à Juventus. Neste período quantos jogos tem o SC Braga, ou outra equipa do campeonato? As pessoas têm de ver isso também. Sabe o que era para mim igualdade? É ter o mesmo tempo de descanso e o mesmo número de jogadores em campo", disse o técnico.

Outro tema de conversa com os jornalistas foi o tempo útil de jogo, muito criticado por estes dias em Portugal.

"Quando chegamos à Europa, encontramos um ritmo acima de média, é tudo diferente na forma de abordar o jogo. Vou confessar, no último jogo [frente ao Sporting], cheguei a casa e fui ver o jogo. Eram 4h e estávamos a mandar mensagens porque eu queria que analisassem o tempo útil de jogo. A cada 15, 20 segundos o jogo parava. Para o meu espanto, de manhã, através de várias pesquisas que fizemos o tempo de jogo real que tivemos foram cerca de 46 minutos, o que é baixíssimo", recordou.

Sporting de Braga e FC Porto defrontam-se na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal a partir das 20h15 desta quarta-feira, no Estádio do Dragão, no Porto, jogo que será arbitrado por Artur Soares Dias, da associação do Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.