O Benfica está nos oitavos de final da Taça de Portugal depois de receber e vencer o Famalicão por 2-0. Os golos surgiram já na segunda parte, com os visitantes a terminarem a partida reduzidos a dez elementos.

Num jogo que foi, durante muito tempo, disputado a grande velocidade e com o perigo a rondar frequentemente as duas balizas, sobretudo na primeira parte, o primeiro golo surgiu já depois do minuto 70, quando Riccieli, num lance infeliz, colocou a bola no fundo da própria baliza. Instantes depois o Famalicão viu-se reduzido a dez jogadores, por expulsão de Otávio, e logo a seguir Rafa acabou com quaisquer dúvidas que pudessem ainda subsistir.

Primeiros minutos de parada e resposta, com várias ocasiões de golo

Roger Schmidt apostou em Morato para lateral esquerdo e premiou um dos heróis da épica vitória no dérbi com o Sporting, Tengstedt, com a titularidade na frente de ataque. Mas foi o Famalicão a entrar melhor e a criar perigo.

Aos quatro minutos, Francisco Moura arrancou pela esquerda e surgiu sozinho na cara de Trubin, com o guarda-redes do Benfica a fazer a mancha e a negar-lhe o golo antes de Morato afastar em definitivo a bola.

O Benfica sentiu o toque, respondeu e António Silva cabeceou ligeiramente por cima na sequência de um livre, antes de rematar para excelente defesa do guarda-redes do Famalicão, Luiz Júnior.

O jogo seguia equilibrado, numa toada de parada e resposta, e logo a seguir foi a vez de o Famalicão voltar a criar perigo. Outra vez Francisco Moura no lance, a combinar com Puma Rodríguez na esquerda e o panamiano a rematar forte e cruzado, para defesa apertada do guarda-redes contrário.

Benfica toma conta do jogo, guarda-redes continuam a brilhar

As oportunidades de golo iam-se sucedendo de um lado e do outro a um ritmo alucinante. Seguiram-se duas para o Benfica, ambas protagonizadas por Tengstedt. Na primeira, o avançado dinamarquês até ladeou Luiz Junior, mas perdeu o tempo de remate e viu um adversário cortar sobre a linha de bola e logo depois, rematou para mais uma boa defesa do guardião contrário, na sequência de uma bola perdida na grande área famalicense.

Por esta altura o Benfica tinha começado a mandar em definitivo no jogo e Luiz Junior voltou a brilhar a grande altura para, com a palma da mão esquerda, defender de forma espetacular um remate de Di María.

Mas mesmo com o Benfica mais dominador, o Famalicão continuava a espreitar o contra-ataque e os visitantes voltaram a testar Trubin, em mais um remate do sempre muito ativo Puma Rodríguez. O guarda-redes ucraniano defendeu para canto e na sequência desse canto o Famalicão voltou a ficar perto de marcar.

Até ao intervalo foi o Benfica a passar mais tempo no meio-campo contrário, tomando em definitivo conta do jogo, mas os lances de perigo, enfim, abrandaram e o nulo subsistiu mesmo até ao intervalo.

Segunda parte começa mais morna, mas anima

O segundo tempo começou com o Benfica a ficar muito perto de inaugurar o marcador. Livre cobrado por Di Maria e Otamendi a cabecear ligeiramente ao lado. Uma vez mais, contudo, o Famalicão conseguiu responder. Mesmo sem conseguirem voltar a criar perigo nos minutos iniciais da segunda parte, os visitantes conseguiam passar algum tempo com a bola controlada no meio-campo contrário.

Os segundos 45 minutos estavam a ser mais calmos, pelo menos no que toca a oportunidades de golo, e novo lance de perigo só surgiu perto do minuto 60, com a rematar ligeiramente ao lado da baliza do Famalicão. A partir daí o domínio encarnado foi-se acentuando, mas o Benfica mostrava agora maior dificuldade em criar perigo. Di Maria rematou muito por cima aos 64 minutos e Tengstedt rematou ligeiramente ao lado pouco depois.

Só que, de repente, o Famalicão voltou a despertar e em dois contra-ataques rápidos voltou a ameaçar a baliza de Trubin. O encontro voltava à toada de parada e resposta da etapa inicial e o golo parecia, novamente poder cair para qualquer um dos lados.

Golo, expulsão e tudo resolvido

Caiu para o lado do Benfica, num lance infeliz de Riccieli. Tengstedt cruzou da direita e o defesa do Famalicão, na tentativa de interceptar o cruzamento, traiu o seu guarda-redes e colocou a bola no fundo da própria baliza, serenando as bancadas da Luz.

Logo depois a tranquilidade foi ainda maior. Tengstedt arrancou em velocidade pela direita e, quando se preparava para se isolar, foi rasteirado por Otávio, que recebeu de imediato ordem de expulsão. Tudo corria, agora, de feição ao Benfica, que não tardou a chegar ao 2-0, num excelente remate colocado de Rafa, após bom trabalho individual.

Com tudo resolvido, deu até para Roger Schmidt lançar Kokçu, que assim regressou após lesão.

Veja o resumo do jogo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.