Declarações de João Pedro Sousa, treinador do Famalicão, e de Gustavo Sá, jogador dos famalicenses, após a derrota com o Benfica na Taça de Portugal.

João Pedro Sousa

Equipa quebrou na parte final? "O primeiro golo é um lance infeliz, mas cinco minutos antes já revelámos cansaço e já íamos fazer duas substituições. Penso que a primeira parte é muito boa, pena não ter havido golos. Controlámos o que pretendíamos controlar, conseguimos ser competentes e empurrar o jogo do Benfica para os corredores, já que provavelmente iriam jogar com dois laterais adaptados. Cinco minutos antes do golo sentimos que já não estávamos tão eficazes, íamos mudar, mas num lance infeliz sofremos o golo e a nossa reação nem aconteceu porque temos o cartão vermelho, aí praticamente o jogo acabou. O Benfica também geriu muito bem o jogo e é um justo vencedor".

Qual era o plano para vencer? Tivemos dois momentos em zonas de ataque posicional, até de risco, e percebemos o momento em que tínhamos de ganhar a bola em zonas predefinidas para tentar magoar o Benfica. Isso aconteceu, mas infelizmente não chegámos ao golo. A primeira oportunidade é nossa, mas faltou-nos o golo que poderia equilibrar as coisas um bocadinho".

Autogolo e expulsão foram momentos-chave do jogo? "São situações que acontecem com frequência no futebol, pena é a expulsão. O golo é infeliz, também teve responsabilidade nossa, depois se calhar um mau posicionamento, mas foi pena não termos conseguido reagir. Estávamos preparados para abordar o jogo em desvantagem, mas não conseguimos e o Benfica também não nos deixou reagir".

Famalicão assumiu final da Taça como objetivo: "Assumimos o desafio da administração, que era tentar chegar à final depois de duas meias-finais. Agora temos de assumir que falhámos e não interessa contra quem foi, fomos eliminados e resta-nos... Também já fomos eliminados numa fase precoce da Taça da Liga e agora temos o campeonato, onde também temos uma meta a que nos propusemos no início da época e que assumimos".

Gustavo Sá

Qual era o plano para eliminar o Benfica? "O plano foi igual aos restantes jogos. Entramos sempre para ganhar, este não foi diferente. É verdade que entrámos muito bem, podíamos ter feito um ou dois golos nos primeiros dez minutos. A partir do momento em que há o autogolo num jogo tão equilibrado... foi um bom jogo, fomos abaixo. A expulsão virou muito o jogo. Saímos com a sensação de que o resultado não foi totalmente justo, mas demos tudo para passar."

Derrota marcada por dois momentos individuais: "Não podemos dizer dois momentos individuais. Um erro de um jogador é sempre da equipa. Saímos com o sentido de que demos tudo para passar, infelizmente não conseguimos."

Sentimento: "Saímos muito tristes, insatisfeitos. Mas orgulhosos. Demos tudo neste estádio, contra uma grande equipa como o Benfica, com o estádio quase cheio. É um orgulho."

O Benfica qualificou-se hoje para os oitavos de final da Taça de Portugal em futebol, ao bater o Famalicão por 2-0, em encontro disputado no Estádio da Luz, em Lisboa

Riccieli, aos 72 minutos, na própria baliza, e Rafa, ao 77, marcaram os tentos do ‘onze’ de Roger Schmidt, num jogo que os forasteiros acabaram com 10, por expulsão de Otávio, aos 74.

Os ‘encarnados’ são os recordistas de vitórias na Taça de Portugal, contabilizando 26 troféus, mas já não ganham a prova desde que superaram o Vitória de Guimarães por 2-1, na final da edição de 2016/17.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.