O Sporting garantiu, esta quarta-feira, o último lugar na final da Taça de Portugal, depois de derrotar o Benfica por 1-0 no jogo da segunda-mão da meia final.

Um golo de Bruno Fernandes bastou ao clube de Alvalade para assegurar pelo segundo ano seguido o lugar na final da prova rainha do futebol português.

As equipas iniciais contaram com mudanças, quer por parte de Bruno Lage quer por parte de Marcel Keizer.

Do lado do Sporting, o treinador holandês apostou em Bruno Gaspar para render o castigado Ristovski no ‘onze’ do Sporting.

Sem poder contar com o lateral direito macedónio, que viu hoje confirmada a suspensão de um jogo, na sequência da expulsão frente ao Desportivo de Chaves (3-1), no sábado, Marcel Keizer entregou a titularidade a Bruno Gaspar.

Esta é a única alteração promovida pelo técnico holandês relativamente à partida em Trás-os-Montes, num jogo em que o Sporting vai tentar anular a desvantagem trazida da Luz, onde o Benfica ganhou por 2-1.

Bruno Lage fez quatro mexidas no onze inicial relativamente à equipa que defrontou o Tondela (1-0), também no sábado, desde logo com o guarda-redes belga Svilar a render o grego Vlachodimos.

O central Jardel, que não jogava desde o encontro da primeira mão, no qual os ‘encarnados’ venceram por 2-1, na Luz, em 06 de fevereiro, quando se lesionou, formou dupla com Rúben Dias no eixo defensivo, Fejsa substituiu Samaris no centro do terreno e Seferovic, autor do golo do triunfo sobre os tondelenses, voltou à frente de ataque, para o lugar de Jonas.

O Sporting entrou mais pressionante, dada a desvantagem na eliminatória, e pertenceu aos leões a primeira vantagem no encontro. Ataque rápido do Sporting conduzido por Bruno Fernandes, o médio optou por servir Raphinha, que rematou contra um adversário.

De seguida, contrariedade para o Benfica. Depois de Zlobin ter ficado de fora da ficha de jogo por conta de uma indisposição ainda antes do apito inicial - Vlachodimos entrou para o 18 eleitos -, foi a vez de Gabriel sair do encontro lesionado depois de um lance com Raphinha aos 14 minutos. Gedson Fernandes entrou para o seu lugar.

O clube de Alvalade contou com nova oportunidade aos 29 minutos por intermédio de Luiz Phellype. O avançado brasileiro, que ocupou o lugar do lesionado Bas Dost, rematou forte em zona frontal, mas Svilar defendeu com a ponta dos dedos por cima da trave da baliza.

O Benfica contou com a primeira oportunidade de perigo aos 40 minutos. O lance dos encarnados começa com um passe de Pizzi para Rafa, este não consegue o remate à entrada da área e a equipa leonina afasta. A bola sobra para Fejsa, que atira rasteiro e por pouco surpreendia Renan, obrigado a tirar para canto.

O Sporting foi mais pressionante nos primeiros 45 minutos e quis mais, mas quem a melhor situação de golo foi do Benfica em cima do apito para o intervalo, depois de um passe fantástico de João Félix que deixou Seferovic na cara do golo. A bola ainda sofreu um desvio e o remate do suíço saiu fácil para as mãos de Renan.

No segundo tempo, o Benfica entrou com outra cara e pertenceu aos 'encarnados' o primeiro lance de grande perigo desta etapa complementar. Pizzi lançou na frente em Seferovic que na cara de Renan Ribeiro rematou muito torto.

O Sporting respondeu com um livre direto de Bruno Fernandes. Em zona frontal, o capitão leonino atirou forte e colocado à trave, com Mile Svilar completamente batido.

Com um jogo um pouco partido, o Sporting foi arriscando um pouco mais à procura do golo que desse o empate na eliminatória e consequente vantagem.

O Benfica ia segurando o jogo, mas também procurando o golo que 'matasse' a eliminatória. Foi o que aconteceu aos 70 minutos num lance com Jonas, que entrou para o lugar do desinspirado João Félix. Gedson recuperou a bola no meio-campo ofensivo e tocou para Pizzi, que serve para a entrada do brasileiro que rematou muito torto em zona perigosa.

Logo de seguida, um lance que gerou protestos do lado do Sporting. Nemanja Gudelj rematou contra Rúben Dias, corte que motivou muitas queixas por parte dos jogadores do Sporting, que queriam que cercaram o árbitro Hugo Miguel para pedir grande penalidade. No entanto, o juiz mandou seguir o encontro.

O Sporting precisava de um golo que o colocasse na frente da eliminatória e foi isso mesmo que aconteceu aos 75 minutos pelo inevitável Bruno Fernandes. O capitão leonino recebeu na área, tirou da frente Grimaldo e atirou ao ângulo com o pé esquerdo sem hipóteses para Svilar. Golaço do internacional português.

Numa jogada semelhante à que deu o golo da vitória contra o Tondela, o Benfica esteve perto de empatar o encontro aos 83 minutos. Cruzamento de Gedson Fernandes  e Seferovic de cabeça, na área, falhou o golo por muito pouco.

Sem conseguir empatar a eliminatória, o Benfica perdeu em casa do eterno rival e viu escapar a possibilidade de marcar presença na final da Taça de Portugal, algo que não acontece desde a época 2016/17.

A equipa ‘leonina’, que venceu 14 dos 17 confrontos caseiros com o Benfica na Taça de Portugal, quebrou uma série de oito jogos e mais de três anos sem conseguir bater os ‘encarnados’ – a última vitória aconteceu na quarta ronda da Taça em novembro de 2015.

O Sporting, que ergueu o troféu 16 vezes, regressa ao Estádio Nacional um ano depois de ter sido derrotado pelo Desportivo das Aves, por 2-1. A sua última conquista da Taça de Portugal aconteceu na época 2014/15, em que bateu o Sporting de Braga (3-1 no desempate por penáltis, após o 2-2 no prolongamento).

Na final, o Sporting vai defrontar o FC Porto, que eliminou o Sporting de Braga (3-0 em casa e 1-1 fora) e também procura conquistar a Taça de Portugal pela 17.ª vez.

Esta será a quinta final entre 'leões' e 'dragões', que se encontraram no jogo decisivo pela última vez em 2008, com vitória do Sporting, por 2-0. Nas quatro finais disputadas entre ambos, registaram-se duas vitórias para cada.

Veja o resumo do jogo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.